app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Mercado Alagoas

Confira os destaques da economia alagoana #MA06012021

.

Por Edivaldo Junior | Edição do dia 06/01/2021 - Matéria atualizada em 05/01/2021 às 23h16

Tlim, tlim

A Secretaria da Fazenda de Alagoas fechou dezembro de 2020 com arrecadação recorde de ICMS de R$ 524,8 milhões, em alta superior, maior arrecadação da história do Estado com o imposto em um só mês. Na comparação com igual mês do ano anterior, quando foram arrecadados R$ 476,4 milhões, a variação ficou em 10,11%.


Tem mais

No acumulado do ano, a receita de ICMS chegou a R$ 4,383 bilhões. Com o resultado, o Estado fechou 2020 com crescimento real ante o período anterior. Em 2019, a arrecadação de ICMS ficou em R$ 4,20 bilhões. A variação chegou a 4,23%.


Balanço

O secretário da Fazenda, George Santoro, fez avaliação da receita de ICMS para a coluna. “Dada a pandemia, o ano teve um resultado excepcional. A gente teve uma reação a partir de junho muito grande na arrecadação. E todas as áreas da arrecadação se recuperaram no segundo semestre. A gente não teve nenhuma área em destaque individual, mas tivemos um grande movimento econômico”, aponta.


Varejo

Mesmo sem destacar nenhum setor, Santoro pondera que o varejo cresceu acima da média dos outros setores: “A gente teve aliado a isso um movimento na economia decorrente do auxílio emergencial, mas não só isso. O turismo se recuperou também. Acredito que a gente vai ter um janeiro e fevereiro, mesmo sem ter o auxílio emergencial, ainda bastante razoável na arrecadação”, avalia.


Dúvidas

O temor do secretário da Fazenda de Alagoas é o mesmo do mercado: “Eu não sei como vai ficar se a gente atrasar a vacinação, se o país ficar para trás. Esse é o risco que vamos ter que enfrentar ao longo de 2021. Mas, fora isso, estou bastante otimista em relação ao ano quanto à arrecadação, a não ser que a gente tenha o problema da vacina atrasar muito e a gente possa sofrer algum tipo de restrição econômica. Fora isso, estou bastante otimista”.


ATR

O Conselho de Produtores de Cana-de-açúcar e Etanol dos Estados de Alagoas e Sergipe (Consecana-AL/SE) informou que o valor líquido do último ATR do ano de 2020, referente ao mês de dezembro, foi de R$ 0,9907. Em comparação a novembro, quando o valor era de R$ 0,9683, foi mantida a curva de crescimento com uma variação positiva de 2,2%.


Açúcar

Entre os produtos que fazem parte do mix da cana em Alagoas, o açúcar cristal foi o que apresentou maior alta de preço em comparação a novembro, com o saco passando de R$ 98,36 para R$ 101,63.


De acordo com a planilha do Consecana, no mesmo caminho, o VHP exportado para o mercado mundial também registrou aumento de preço e subiu de R$ 84,11 para R$ 86,90. Neste cenário, apenas o saco do VHP, mercado americano, teve redução de preço em dezembro e caiu de R$ 180,34 para R$ 164,78.


Etanol

Segundo o Consecana, o metro cúbico do etanol anidro passou de R$ 2.691,17 para R$ 2.784,72. Enquanto isso, o hidratado também registrou alta de preço de R$ 2.146,75 para R$ 2.253,51.


Cana

Segundo o levantamento do Consecana, o valor líquido da cana padrão, que corresponde a 114,09 kg de ATR/tonelada cana, em dezembro, foi de R$ 113,0290, com acumulado de R$ 110,0512.


Chuvas

Com 1.826,72 milímetros (mm) de chuvas acumulados até novembro passado, o ano de 2020 foi encerrado com um crescimento parcial nos índices pluviométricos da zona canavieira de Alagoas de 7,36% em comparação à média histórica, que é de 1.692,32 mm.


Redução

De acordo com a planilha disponibilizada pelo Departamento Técnico do Sindaçúcar-AL, janeiro e outubro foram os meses com maior redução de chuvas em 2020, já que a média histórica para os dois períodos é de 74,38 mm e 643 mm, respectivamente.

Mais matérias
desta edição