app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Mercado Alagoas

Confira os destaques da economia alagoana #MA23022021

.

Por Edivaldo Junior | Edição do dia 23/02/2021 - Matéria atualizada em 22/02/2021 às 21h36

Devolução

O deputado estadual Davi Davino Filho (PP) quer que o Estado devolva o valor “cobrado a mais” de aposentados e pensionistas do AL Previdência, desde a implantação no novo sistema de contribuição previdenciária no Estado. A reforma na previdência de Alagoas se deu efetivamente a partir de 2020, quando foram implantadas novas alíquotas e base de cálculo diferenciada.


No bolso

A reforma penalizou servidores não só pelo aumento de alíquota (de 11% para 14%), mas também os aposentados e pensionistas pela sua incidência em base mais ampla. Antes da reforma, só contribuíam beneficiários que ganhavam acima do teto do Regime Geral de Previdência Social ( R$ 6.433,57 atualmente). Após a reforma, a contribuição passou a ser cobrada de quem ganha acima de um salário-mínimo.


Perda

“Os descontos realizados como alíquota previdenciária dos aposentados e pensionistas de valores calculados sobre base igual ou menor que o teto do RGPS causou e ainda causa perda significativa no poder de compra dos proventos e pensões dos beneficiários do AL Previdência, situação que impõe a imediata revisão e consequente devolução para os aposentados e pensionistas dos valores descontados”, diz o deputado.


Sem prazo

O governo vai sim apresentar um projeto que deve diminuir a carga da contribuição previdenciária. A previsão da área técnica é que os estudos sejam concluídos em até três meses, para, em seguida, a proposta tramitar internamente no Executivo, antes de ser enviada ao Legislativo. A estimativa é que a nova reforma previdenciária seja enviada ao parlamento até junho deste ano.


Com alíquota

Anote aí. A alíquota de contribuição dos servidores e aposentados continuará a mesma: 14%. O que deve mudar, revela uma fonte da área técnica, é a base de cálculo. Atualmente, a taxa incide sobre todos os vencimentos. No caso dos inativos, a cobrança parte de um salário-mínimo. O mais provável é que o governo reduza ou isente a taxa de aposentados e pensionistas até o teto do RGPS.


Desafio de...

A Vivo, por meio da Wayra, seu hub de inovação aberta, anuncia desafio para startups que possam acelerar a inclusão de pessoas com deficiência visual na companhia. O objetivo é encontrar startups para avaliar e desenvolver/adaptar uma solução que viabilize a utilização de ferramentas de leituras nas plataformas de comunicação interna utilizadas na Vivo e assim deixá-las mais acessíveis aos atuais colaboradores com deficiência e atrair novos talentos.


…Startups

As inscrições ficam abertas a partir de hoje, 23 de fevereiro, e vão até 12 de março. O desafio é aberto a startups de todos os portes e de todas as localidades do Brasil. Para participar, basta acessar o portal da Wayra www.br-pt.wayra.com/desafios. As startups selecionadas para a fase final terão a chance de fazer pitch para os executivos da Vivo visando gerar negócios com a empresa.


Reabertura

Fornecedores de cana de várias regiões do Estado estiveram, ontem, na sede da Asplana para discutir a proposta de reabertura de usinas de cana-de-açúcar que estão desativadas. As primeiras tratativas com os proprietários da usina Porto Alegre, localizada no município de Colônia de Leopoldina, já foram iniciadas.


Mecanização

Alagoas é o Estado nordestino com maior número de colhedoras de cana, totalizando 55 máquinas usadas na safra atual (20/21). As informações são da Conab. No ciclo passado, de acordo com a empresa, eram 66 máquinas existentes no Estado. Em toda a região, são 137 colhedeiras espalhadas em apenas sete dos nove Estados.


Área

Já no que diz respeito à colheita, segundo estimativas do Departamento Técnico do Sindaçúcar-AL, acredita-se que, atualmente, em Alagoas a mecanização na colheita da cana deve oscilar entre 40% a 50% da área de canavial.

Mais matérias
desta edição