app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Mercado Alagoas

Confira os destaques da economia alagoana #MA05062021

.

Por Edivaldo Junior | Edição do dia 05/06/2021 - Matéria atualizada em 04/06/2021 às 21h15

Em alta

Nos quatro três meses do ano, a Sefaz-AL conseguiu desempenho positivo na receita do ICMS. Em janeiro, foram arrecadados R$ 482,007 milhões (alta de 16,79%), fevereiro fechou com R$ 427,8 milhões (16,28%), março com R$ 394,8 milhões (18,95%). Em abril, o ICMS chegou a R$ 414,2 milhões e um crescimento muito acima da média na comparação com igual período do ano passado: 42,46%.


Fora da curva

Pelo segundo mês consecutivo, o ICMS apresentou um desempenho acima do esperado. Em maio, o volume arrecadado chegou a R$ 412,3 milhões, segundo menor do ano, mas o maior até agora (e certamente um dos maiores da história) em desempenho. A variação ante maio de 2020 (R$ 246,6 milhões) foi de 67,18%.


Tlim, tlim

O resultado de maio impactou positivamente no acumulado do ano. Nos cinco primeiros meses de 2021, o volume de ICMS arrecadado em Alagoas chegou a R$ 2,1 bilhões, com crescimento de 29,41% na comparação com R$ 1,64 bilhão de receita com o imposto entre janeiro e maio de 2020 – uma diferença de R$ 484 milhões. É como se o Estado tivesse este ano um “mês” a mais de arrecadação. 


Base 

O secretário da Fazenda de Alagoas, George Santoro, avalia que o desempenho da receita é reflexo da retomada da economia este ano no País e no Estado. “Outro fator que deve ser avaliado é a base de comparação. Maio de 2020 foi um mês de baixa arrecadação, com desempenho negativo”, pondera.


Estabilidade

Para Santoro, o ICMS tende a ter um comportamento mais estável a partir de junho. “Não devemos repetir mais crescimentos tão expressivos, até porque a base de comparação será maior neste e nos próximos meses”, aponta.


Peso 

De acordo com o secretário, outro fator a ser considerado é a retomada de atividade “plena” na cadeia da química e do plástico em Alagoas. “A volta da operação da fábrica da Braskem em Maceió este ano tem influenciado fortemente os indicadores no setor industrial”, afirma.


Variedades 

A Asplana promove, na próxima segunda-feira, dia 07, às 10h, uma palestra para a apresentação das seis novas variedades de cana que serão lançadas pelo Programa de Melhoramento Genético da Cana-de-Açúcar (PMGCA). O encontro, que ocorrerá no auditório da associação dos fornecedores de cana, terá como palestrantes os pesquisadores José Vinícios (Usina Santo Antônio) e Antônio Rosário (Diretor Técnico da Asplana). 


Vacina 

As ações de prevenção e combate a pandemia da covid – 19 em Pindorama não param. Nessa sexta-feira, 04, foi realizada a vacinação de funcionários da cooperativa, localizada no município de Coruripe. Os trabalhos foram iniciados às 09h, respeitando todo o protocolo de higienização e segurança. 


Fluxo 

Nesta semana, uma equipe de técnicos da Conab, em Alagoas, esteve na Ceasa para melhor conhecer o fluxo de comercialização dos produtos hortifrutigranjeiros. A visita técnica se pautou pelo entendimento da operacionalização da entrada e saída de produtos como procedência, volume comercializado além dos preços praticados no mercado. A ação tem o objetivo de promover o acompanhamento sistemático da oferta de produtos e dos preços praticados no atacado, na Central de Abastecimento do Estado. 


Prazo 

Donos de Microempresa (ME) ou Empresa de Pequeno Porte (EPP), optantes pelo Simples Nacional, têm de 15 de junho a 30 de julho para aderirem ao Programa de Parcelamento e Redução de Débitos de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). O programa foi criado pela Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) na última quinta-feira (28), após publicação da Instrução Normativa N° 26/2021. 


Parcelamento 

Podem ser parcelados ou liquidados à vista os débitos de ICMS relativos a fatos geradores ocorridos até 31 de dezembro de 2020, constituídos ou não, inscritos ou não em Dívida Ativa, ajuizados ou não e, também, os não abrangidos pelos Simples Nacional. 


Lançamento

A Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (Fiea) e o Sebrae lançaram oficialmente o programa Avança + Indústria, uma parceria entre as entidades que tem o objetivo de fortalecer as micro e pequenas indústrias do Estado. Durante um ano, as entidades – Fiea, Sebrae, Sesi, Senai e IEL – vão executar uma série de ações para contribuir com o desenvolvimento e competitividade da indústria local. 


Capacitações 

Estão previstos cursos, consultorias, desenvolvimento de soluções digitais e uma série de serviços, totalmente subsidiados, para os empresários. Devem ser beneficiadas cerca de 300 empresas de micro e pequeno porte alagoanas. Informações sobre o programa estão disponíveis no portal www.fiea.com.br 


Abertura

O Brasil vai poder exportar leite e derivados, além de gergelim, para o México. Em nota, o Ministério das Relações Exteriores e o Ministério da Agricultura comemoraram a aprovação das autoridades mexicanas. Dezoito estabelecimentos brasileiros foram habilitados para embarcar leite integral, em pó, queijos e outros produtos aos mexicanos.


Carne

A carne de frango voltou a se valorizar neste início de mês, especialmente nas praças do Sudeste. Segundo pesquisadores do Cepea, os recentes avanços tentam garantir melhores margens para o setor, que tem sido pressionado pelos elevados custos de produção. Além do alto preço do milho e do farelo de soja, agroindústrias, frigoríficos e avicultores passam a se preocupar com os gastos com eletricidade, uma vez que a crise hídrica levou o custo da energia para a bandeira vermelha-2, a mais alta.


FPM

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) divulgou a previsão do valor dos recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que serão repassados com 1% adicional no próximo mês, com base nos dados publicados pelo governo federal, como as arrecadações de Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) e Imposto de Renda (IR) através da Receita Federal (RFB) e o Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas Primárias disponibilizado pelo Tesouro Nacional (STN). 

Pelos cálculos, Alagoas terá o repasse de R$ 109, 2 milhões para distribuição entre as prefeituras em valor líquido. Maceió receberá R$ 20,5 milhões e Arapiraca, R$ 4,7 milhões.

Mais matérias
desta edição