app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Mercado Alagoas

Confira os destaques da economia alagoana #MA15062021

.

Por Edivaldo Junior | Edição do dia 15/06/2021 - Matéria atualizada em 15/06/2021 às 04h00

Três em um

O governador Renan Filho (MDB) enviou para a Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) a proposta que retira o desconto de 14% para aposentados e pensionistas do AL Previdência que recebem abaixo do teto do INSS. Na verdade são três diferentes projetos que modificam mais do que a base salarial para cobrança da contribuição. Foram dois projetos de lei complementar e uma Proposta de Emenda Constitucional.


Adesão

Além da mudança na base de cálculo para o desconto, o governo cria a possibilidade de adesão de prefeituras municipais ao sistema previdenciário estadual. E também disciplina o funcionamento de um fundo de previdência complementar no Estado - ALPREVCOM


Operando

O fundo complementar, informa o governo, “já está em funcionamento e pode oferecer Planos de Benefícios para os municípios alagoanos, mormente àqueles sem nenhuma viabilidade para criar uma entidade com toda uma estrutura exigida pela legislação pertinente à previdência complementar”.


Migrando

O projeto de lei complementar propõe instituir o benefício especial para os servidores anteriores à criação do Regime de Previdência Complementar, que será pago pelo Estado de Alagoas à Entidade Fechada de Previdência Complementar – ALPREVCOM, em conta individual de cada participante, em parcelas mensais, com o mesmo prazo de meses em que houve contribuições, ou até a sua aposentadoria concedida pelo RPPS/AL. Na prática isso representa a migração do servidor do fundo financeiro ou do fundo previdenciário para o complementar.


Prazos

A aprovação dos projetos podem dispensar os servidores aposentados do pagamento dos 14% em junho – ou não. Vai depender dos prazos. Para isso, precisam ser aprovados e sancionados até o final do mês


Contratações

A concessão de crédito pelo Banco do Nordeste ao setor rural alagoano praticamente dobrou de janeiro a abril deste ano em comparação a igual período de 2020. O Banco do Nordeste registra crescimento de 96% nos valores financiados por meio de 10.617 operações de crédito rural, totalizando R$ 150 milhões.


Familiar

No primeiro trimestre deste ano, o crédito destinado à agricultura familiar cresceu 40,5%, somando mais de R$ 60 milhões. Desse total, 87% foram operações contratadas com microempreendedores rurais. Os financiamentos do setor aumentaram em todos os segmentos, sendo o agrícola o que obteve maior alta (258%), seguido por agroindústria (96%) e pecuária (62%).


Setores

Dentre as atividades que mais demandaram crédito no período, estão bovinocultura, gramíneas, processamento e beneficiamento de cana-de-açúcar, grãos e fruticultura.


Queda

Pesquisa da GEM, Global Entrepreneurship Monitor, que mede a taxa de empreendedorismo no mundo, apontou que a taxa de empreendedorismo total no Brasil atingiu o menor patamar nos últimos oito anos, após queda de 18%. Com esse resultado, o país caiu do 4º para o 7º lugar no ranking global.


Varejo

O varejo apresentou crescimento de 51% no seu total, com índices positivos em todas as suas atividades. Nos valores mais significativos de emissões, destacaram-se o comércio varejista de veículos (156%), combustíveis (49%), medicamentos (25%), hipermercados e supermercados (15%), que juntos representam 62% do total de emissões do período.


Indústria

O segmento industrial teve crescimento de 61% no total, tendo se destacado positivamente entre os valores mais significativos a fabricação de resinas (310%), cloro e álcalis (187%), fabricação de produtos químicos (111%), material de construção (124%), petróleo e gás (77%) e a fabricação de alimentos (47%), representando 62% dos valores de emissões no período.

Mais matérias
desta edição