app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5655
Mercado Alagoas

Confira os destaques da economia alagoana #MA01122023

.

Por Edivaldo Junior | Edição do dia 01/12/2023 - Matéria atualizada em 01/12/2023 às 04h00

Em pó 

Com as presenças confirmadas dos ministros Renan Filho (Transportes) e Wellington Dias (Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome), além do governador Paulo Dantas e secretários de estado, a CPLA inaugura, hoje, 1º, a primeira fábrica de leite em pó da agricultura familiar das regiões Norte e Nordeste do Brasil. 


Local 

A solenidade, que deve reunir centenas de agricultores, tem início marcado para às 10h, no pátio da Unidade de Beneficiamento de Leite (UBL), inaugurada em junho do ano passado, no município de Batalha. 


Sisbi 

Na oportunidade, além da inauguração da planta de secagem de leite, será entregue à CPLA, pelo Governo do Estado, a certificação do Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI-POA). O selo permite que a cooperativa comercialize o leite em pó para demais estados da federação. 


Dados 

A planta de secagem de leite em pó tem capacidade de processar 400 mil litros de leite por dia, fornecidos por mais de dois mil agricultores cooperados a CPLA, na região da bacia leiteira de Alagoas. 


Economia 

De acordo com a CPLA, só com a compra do leite ao produtor serão disponibilizados na economia alagoana R$ 30 milhões/mês o que corresponde a R$ 360 milhões/ano, além de gerar 400 empregos diretos. Com isso, a cada mil litros de leite, é gerado um posto de trabalho. 


Linha 

Com a nova indústria, além de leite em pó, serão produzidos leite condensado, soro em pó, composto lácteo e manteiga. A indústria terá condições de estocar o leite em pó para o pequeno produtor, em tempo de chuvas, quando a oferta do leite aumenta e o preço baixa para o produtor, melhorando a renda, por meio da estabilidade de preço e de produção. 


Consumo 

O consumo nos lares brasileiros, medido pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), registrou alta de 2,89% em outubro, na comparação com o mês anterior. Na comparação com outubro do ano passado, a alta é de 0,61%. 


Acumulado 

No acumulado do ano, a alta é de 2,64%. O resultado contempla os formatos de loja atacarejo, supermercado convencional, loja de vizinhança, hipermercado, minimercado e e-commerce. Todos os indicadores são deflacionados pelo IPCA, medido pelo IBGE. 


Quedas 

A Abras afirmou que, apesar da alta registrada no mês, as quedas nos preços foram expressivas de janeiro a outubro (-6,43%) e nos últimos 12 meses (-5,08%), influenciadas principalmente pelos preços do óleo de soja (-30,94%), do feijão (-23,12%), dos cortes bovinos do dianteiro (-12,61%) e do traseiro (-12,44%), do frango congelado (-9,55%), do leite longa vida (-6,10%). Os preços dessa cesta caíram de R$ 754,98 em janeiro para R$ 705,93 em outubro, variação de -6,43% equivalente a cerca de R$ 50. 


Tesouro 

O Tesouro Nacional informou que os subsídios de natureza financeira reduziram no 5º bimestre de 2023 para R$ 203,2 milhões, enquanto no mesmo período do ano passado ficaram em R$ 339,9 milhões. Segundo o Tesouro, a queda ao longo do tempo é uma tendência, porque decorrem de “equalização de taxas de juros no âmbito do Programa de Sustentação do Investimento (PSI), em que não há mais contratação de novas operações desde 2015”.

Mais matérias
desta edição