app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5655
Mercado Alagoas

Confira os destaques da economia alagoana #MA09012024

.

Por Edivaldo Junior | Edição do dia 09/01/2024 - Matéria atualizada em 09/01/2024 às 04h00

Mercado

A previsão do mercado financeiro para o crescimento da economia brasileira este ano subiu, passando de 1,52% para 1,59%. A estimativa está no boletim Focus desta segunda-feira (8), pesquisa divulgada semanalmente pelo BC com a projeção para os principais indicadores econômicos.

2025

Para 2025, a expectativa para o Produto Interno Bruto (PIB - a soma dos bens e serviços produzidos no país) - é de crescimento de 2%, a mesma projeção para 2026.

Carne

As exportações totais de carne bovina, considerando produtos in natura e processados, totalizaram 2,29 milhões de toneladas em 2023, leve alta de 1,15% em relação aos 2,26 milhões embarcados no ano anterior, conforme dados da (Abiec).

Receita

A receita, porém, caiu 18,6% para US$ 10,55 bilhões afetada pelos preços da proteína e o impacto das vendas externas para a China. O preço médio ficou em US$ 4,61 por tonelada, versus US$ 5,73 por tonelada em 2022 – que era o maior valor médio já registrado para a carne bovina em um ano.

Parceria

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e o CNJ assinaram, em dezembro passado, um acordo de cooperação técnica para a realização de ações de capacitação de mão de obra no sistema prisional de todo o país.

Assinatura

A assinatura foi feita pelo diretor-geral do Senar, Daniel Carrara, pelo presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luís Roberto Barroso. O vice-presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), José Mário Schreiner, também assinou o acordo.

Objetivo

O objetivo da iniciativa é estimular a reinserção profissional e social de presos por meio da educação, além de contribuir para a segurança alimentar e fomentar novos canais de comercialização de produtos agrícolas.

Bolsa em alta

O Ibovespa, principal índice de ações da bolsa de valores, fechou em alta nesta segunda-feira (8), com investidores esperando dados da inflação norte-americana após uma moderação nas apostas de cortes de juros pelo Federal Reserve em 2024. O dólar abriu a semana em leve queda.

Sinais trocados

O pregão foi marcado por sinais trocados, em virtude da queda nos preços de commodities no mercado internacional. Enquanto ações importantes para o índice caíram, como Vale e Petrobras, a menor pressão nos juros fez com que ações sensíveis às taxas subissem.

Dólar cai

O dólar fechou em leve baixa de 0,02%, cotado a R$ 4,8707. Com o resultado, a moeda americana acumula queda de 0,02% na semana e alta de 0,38% no mês e no ano. Na sexta-feira, a moeda norte-americana fechou em queda de 0,73%, cotado a R$ 4,8718. Assim, o dólar encerrou a primeira semana de 2024 com alta acumulada de 0,40%.

Mais matérias
desta edição