app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5647
Mercado Alagoas

Confira os destaques da economia alagoana #MA08022024

.

Por Edivaldo Junior | Edição do dia 09/02/2024 - Matéria atualizada em 09/02/2024 às 04h00

Safra

Com mais de 14,8 milhões de toneladas de cana processadas desde o início da moagem, a safra 23/24 acumula um crescimento de 12,2% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Boletim

Dados coletados pelo Sindicato da Indústria do Açúcar e do Etanol do Estado de Alagoas (Sindaçúcar-AL), por meio do Departamento Técnico e que fazem parte do boletim quinzenal de nº 10, com a posição acumulada até o dia 31 de janeiro, as usinas registraram percentual de crescimento de 7% até quase 30%.

Primeiras

Nesse cenário, a Usina Caeté, somada a produção da unidade Marituba, processou mais de 2,5 milhões de toneladas de cana. Já a segunda posição atual do ranking é ocupada pela Coruripe, que beneficiou mais de 2,1 milhões de toneladas de cana e a terceira pela Santo Antônio, que junto com a filial Camaragibe, totalizou pouco mais de 2 milhões de toneladas moídas até janeiro.

Uma

Das 15 unidades industriais em operação em Alagoas, apenas uma registrou redução na quantidade de cana beneficiada.

Mix

O boletim informa ainda que foram produzidas 1,2 milhão de toneladas de açúcar. Os números representam um aumento superior a 20% face ao mesmo período da moagem anterior, quando o acumulado era de um milhão de toneladas.

Etanol

O levantamento técnico destaca também que foram fabricados 348.964 milhões de litros de etanol, o que representa uma variação positiva acima de 20% ante janeiro do ano passado, quando a produção acumulada era de 290.335 milhões de litros.

Retorno

Depois de ficar fora do ar por quase um ano, o SVR foi reaberto em março de 2023, com novas fontes de recursos, um novo sistema de agendamento e a possibilidade de resgate de valores de pessoas falecidas. Em dezembro, foram retirados R$ 191 milhões, queda em relação ao mês anterior, quando tinham sido resgatados R$ 211 milhões.

Balança

Beneficiada pela queda nas importações de combustíveis, compostos químicos e pela safra recorde de soja e de café, a balança comercial – diferença entre exportações e importações – fechou janeiro com superavit de US$ 6,527 bilhões, divulgou o Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC). O resultado é o melhor para meses de janeiro, e representa alta de 185,6% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Setores

No setor agropecuário, a safra recorde de grãos pesou mais nas exportações. O volume de mercadorias embarcadas subiu 42,3% em janeiro na comparação com o mesmo mês de 2023, enquanto o preço médio caiu 13,9%. Na indústria de transformação, a quantidade subiu 6,9%, com o preço médio recuando 2,3%. Na indústria extrativa, que engloba a exportação de minérios e de petróleo, a quantidade exportada subiu 44,3%, enquanto os preços médios aumentaram 6,1%.

Mais matérias
desta edição