app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Nacional

Mortos na rebeli�o

Rio – O secretário da Segurança Pública do Rio, Roberto Aguiar, anunciou, na manhã de ontem, o fim da rebelião no presídio Bangu 1, liderado pelo traficante Fernandinho Beira-Mar.  O presídio foi parcialmente destruído durante as 23 horas de rebelião coma

Por | Edição do dia 13/09/2002 - Matéria atualizada em 13/09/2002 às 00h00

Rio – O secretário da Segurança Pública do Rio, Roberto Aguiar, anunciou, na manhã de ontem, o fim da rebelião no presídio Bangu 1, liderado pelo traficante Fernandinho Beira-Mar.  O presídio foi parcialmente destruído durante as 23 horas de rebelião comandada por Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, que assassinou quatro de seus principais rivais. Ele liberou os seis reféns e entregou as armas usadas na ação, permitindo que os policiais entrassem na unidade, que tem 48 celas individuais. O secretário informou que os traficantes Celsinho da Vila Vintém e Marcelo Lucas da Silva, o Café, ficaram feridos, mas não morreram, como havia sido divulgado anteriormente. Aguiar afirmou que o traficante Ernaldo Pinto de Medeiros, o Uê, morreu carbonizado. Morreram também Wanderley Soares, o Orelha, Carlos Alberto da Costa, o Robertinho do Adeus, e um quarto preso ainda não identificado. “Posso dizer ao povo do Rio para ficar em paz. O sossego está instalado, apesar da noite mal- dormida. O Estado legítimo ganhou porque não cedemos a nenhum tipo de pressão”, declarou o secretário, que não quer mais o traficante no Rio. Ele vai tentar transferi-lo para outro Estado. Beira-Mar está isolado dentro do presídio desde ontem. Com isso, ele fica proibido de receber visita íntima, ter regalias por bom comportamento, terá como único contato exterior a correspondência escrita e a leitura e só poderá receber alimentos e produtos de higiene pessoal de seus familiares uma vez por mês, entre outras coisas. Essas resoluções servem também para todos os líderes de facções criminosas e presos que tenham realizado transgressões graves.

Mais matérias
desta edição