app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5714
Nacional

Alerta em fronteira

Brasília – O fim da zona desmilitarizada na Colômbia e a possibilidade de deslocamento dos guerrilheiros para a  fronteira brasileira levou a Polícia Federal a “acionar dispositivo de alerta” na área e  “efetuar uma forte fiscalização  nos rios da região”

Por | Edição do dia 23/02/2002 - Matéria atualizada em 23/02/2002 às 00h00

Brasília – O fim da zona desmilitarizada na Colômbia e a possibilidade de deslocamento dos guerrilheiros para a  fronteira brasileira levou a Polícia Federal a “acionar dispositivo de alerta” na área e  “efetuar uma forte fiscalização  nos rios da região”. O Exército,  por sua vez, redobrou a atenção nos seus pelotões de fronteira, mas não colocou, pelo menos por enquanto, suas unidades em estado de prontidão, nem deslocou pessoal para reforçar a área. De acordo com autoridades diplomáticas, o fim do processo de paz na Colômbia deixou “aflito” o governo brasileiro. “Nós nos preocupamos porque um processo de paz que falha significa o início de uma guerra. E, claro, guerra civil em um país vizinho é algo que nos deixa aflitos”, afirmou a fonte. Em nota oficial distribuída ontem, a Polícia Federal informou que, no momento, 180 homens se encontram em pontos estratégicos da fronteira com a Colômbia, com apoio do Exército. Diz ainda que a PF está efetuando “forte fiscalização nos rios de penetração pela fronteira entre o Brasil e a Colômbia, evitando assim o ingresso em território nacional de pessoas e mercadorias sem que antes haja uma prévia triagem. O Exército conta com pelo menos três mil homens nos pelotões de fronteira e batalhões de infantaria de selva ao longo da fronteira com a Colômbia.

Mais matérias
desta edição