app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5754
Nacional

Para petista, pol�mica sobre Cide foi bobagem

São Paulo – O principal assessor econômico do candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, o economista Guido Mantega, classificou de “bobagem” a polêmica que se instaurou em torno da pergunta que Anthony Garotinho (PSB ) fez a

Por | Edição do dia 05/10/2002 - Matéria atualizada em 05/10/2002 às 00h00

São Paulo – O principal assessor econômico do candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, o economista Guido Mantega, classificou de “bobagem” a polêmica que se instaurou em torno da pergunta que Anthony Garotinho (PSB ) fez a Lula sobre a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide): “Lula não está prestando concurso para tributarista. Seu objetivo e ser presidente do País e ele mostrou uma posição de estadista no debate, não ficou fazendo piadinhas e não partiu para o ataque”. “Apesar de classificar a performance de Lula de muito boa, o economista acredita que o debate realizado pela Rede Globo não vai trazer grandes mudanças no atual quadro eleitoral: “Estamos por um triz de levar no primeiro turno, mas o debate não mudou o quadro.” Mantega acredita que o debate também não deverá alterar as posições do tucano José Serra e Garotinho (PSB) nas pesquisas. “Só saberemos o resultado dessas eleições na abertura das urnas”, completou. Além dos elogios ao seu candidato, Guido Mantega também elogiou a participação do presidenciável da Frente Trabalhista, Ciro Gomes, no debate. “Ele (Ciro) mostrou uma postura digna, não partiu para o ataque, falou de suas propostas e sua dignidade fica ainda mais em destaque porque as chances dele nessa corrida presidencial são pequenas”. Sobre Garotinho, disse que “ele atirou para todos os lados”. E a respeito de Serra, falou que o tucano foi moderado, mas não convenceu nas explicações. Ainda a respeito da Cide, Mantega diz que o eleitorado de hoje está mais maduro, sofisticado e politizado e não leva mais em conta esse tipo de pegadinha, “inclusive aquelas tradicionais, tais como o preço do pãozinho e da tarifa de ônibus”.

Mais matérias
desta edição