app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5714
Nacional

Pesquisas indicam empate entre Lula e Roseana

Brasília – Todos os cenários montados pelo Instituto Sensus  com relação às intenções de voto  para as eleições presidenciais de outubro revelam um empate técnico entre o presidente de honra  do PT, Luís Inácio Lula da Silva, e  a governadora do Maranhão,

Por | Edição do dia 26/02/2002 - Matéria atualizada em 26/02/2002 às 00h00

Brasília – Todos os cenários montados pelo Instituto Sensus  com relação às intenções de voto  para as eleições presidenciais de outubro revelam um empate técnico entre o presidente de honra  do PT, Luís Inácio Lula da Silva, e  a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PFL). O melhor desempenho do petista, de acordo com os dados divulgados ontem pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), seria numa disputa sem a participação da governadora do Maranhão. Neste cenário, Lula teria 32,1% das intenções de voto, seguido pelo governador do Rio, Anthony Garotinho, (PSB), com 16,7%, empatado tecnicamente com o senador José Serra (PSDB-SP), com 16,3%. A quarta posição seria do ex-ministro da Fazenda Ciro Gomes (PPS), com 11,4% das intenções de voto. Considerando que Serra e o governador de Minas Gerais, Itamar Franco (PMDB), não concorressem, Lula teria 28,4% das intenções de voto ante 28,3% de Roseana. Garotinho ficaria então em terceiro colocado, com 14,1% das intenções de voto, e Ciro, no quarto lugar, com 9,6%. Somente com a desistência de Itamar Franco, o quadro seria o seguinte: Lula com 26,8%, seguido de Roseana com 25,3%. Garotinho ficaria em terceiro lugar com 12,5%, mas tecnicamente empatado com Serra, que passaria a 10,2% das intenções de voto. Sem Ciro e sem Itamar no páreo, Lula e Roseana teriam o mesmo percentual de votos – 27,4% – e Garotinho e Serra manteriam o empate técnico, com uma pequena vantagem para o governador do Rio, que registraria 12,7% das intenções de voto, ante 12,1% do ex-ministro da Saúde. A pesquisa CNT/Sensus foi realizada entre os dias 14 e 21 deste mês, ouvindo duas mil pessoas em 195 cidades brasileiras. O presidente nacional do PT, deputado federal José Dirceu (SP), creditou a queda de quatro pontos percentuais nas intenções de voto a Lula, à maior exposição na mídia dos candidatos adversários e aos ataques deles ao partido. “Nos últimos dias, passamos por situações adversas, que começaram com os assassinatos e seguem com campanhas da imprensa e dos candidatos adversários contra nós (PT)”.

Mais matérias
desta edição