app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5754
Nacional

Livro de irm� Dulce � lan�ado em Salvador

Salvador – Dez anos após a morte de Irmã Dulce, a Editora Record, em parceria com as Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), lançou o primeiro livro assinado pela própria freira. Sementes de Amor: A Sabedoria de Irmã Dulce em 75 Pensamentos é um legado de fé e e

Por | Edição do dia 28/11/2002 - Matéria atualizada em 28/11/2002 às 00h00

Salvador – Dez anos após a morte de Irmã Dulce, a Editora Record, em parceria com as Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), lançou o primeiro livro assinado pela própria freira. Sementes de Amor: A Sabedoria de Irmã Dulce em 75 Pensamentos é um legado de fé e espiritualidade, que revela uma Irmã Dulce atenta à realidade política e social de seu tempo. O lançamento nacional do livro aconteceu ontem na Fundação Casa Jorge Amado, em Salvador. O momento em que a publicação chega ao mercado é considerado muito oportuno, pois coincide com a fase em que a Congregação para a Causa dos Santos da Santa Sé, em Roma, examina o processo de Beatificação e Canonização da Irmã, que poderá vir a ser reconhecida pela Igreja Católica como a primeira santa nascida no Brasil. O arcebispo Primaz do Brasil, cardeal Dom Geraldo Majella Agnelo, assina o prefácio desta obra literária e a considera um resgate da vivência espiritual da religiosa, servindo como ensinamento, evangelização e testemunho da fé em Deus: Aqui o pensamento vivo de Irmã Dulce se materializa e cresce em espírito, assim como seu espírito permanece vivo na obra por ela construída, para assistir ao povo pobre da Bahia. São palavras capazes de entrar em todos os corações que, com sinceridade, buscam o caminho da verdade. A verdade da fé, da esperança, da solidariedade, construída na experiência de uma vida habituada a ouvir a palavra de Deus. Os pensamentos reunidos em Sementes de Amor foram compilados em entrevistas concedidas pela Irmã a jornais e revistas, além de cartas enviadas a amigos e parentes ou até mesmo simples apontamentos em pedaços de papel, guardados por colaboradores da instituição como relíquias recebidas de uma “santa”. Os escritos também contam como a freira, que se tornou conhecida como O Anjo Bom da Bahia, era capaz de transpor para o cotidiano os ensinamentos cristãos, usufruindo da fé como instrumento para enfrentar as dificuldades.

Mais matérias
desta edição