app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Nacional

Dep�sitos s�o feitos em contas no exterior

Uma parte do pagamento da propina ao peemedebista, ainda de acordo com o depoimento de Camargo, foi feita através do dólar-cabo, uma operação clandestina e ilegal de câmbio e de remessas de recursos. Segundo Camargo, foram feitos depósitos em uma conta do

Por | Edição do dia 17/07/2015 - Matéria atualizada em 17/07/2015 às 00h00

Uma parte do pagamento da propina ao peemedebista, ainda de acordo com o depoimento de Camargo, foi feita através do dólar-cabo, uma operação clandestina e ilegal de câmbio e de remessas de recursos. Segundo Camargo, foram feitos depósitos em uma conta do doleiro no exterior. De lá, afirmou, a empresa GFD Investimentos – de Youssef – transferiu o montante, em reais, ao Brasil A operação ajudou Camargo, que estava com problemas de liquidez no país, a levantar rapidamente dinheiro vivo para pagar o suborno. “Eu paguei através de depósitos ao Alberto no exterior, paguei através de operações com a GFD. Parte daqueles recursos foram utilizados para dar liquidez em reais a serem feitos pagos esses pagamentos. Fiz pagamentos diretos às empresas de seu Fernando Soares”, contou. Em nota, Cunha voltou a atacar o procurador-geral da República, responsável pelo pedido de investigação contra o deputado na Lava Jato. O presidente da Câmara disse ser “muito estranho” o delator ter mudado a versão na véspera de seu pronunciamento em rede nacional e acusa Rodrigo Janot de ter articulado o depoimento.

Mais matérias
desta edição