app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Nacional

Seq�estradores de Patr�cia Abravanel s�o condenados

São Paulo – Quatro envolvidos no seqüestro de Patrícia Abravanel  foram condenados ontem pelo  crime. Cada um passará ao menos dez anos em regime fechado. Durante esse período, os condenados não terão direito a progressividade para o regime semi-aberto, p

Por | Edição do dia 12/03/2002 - Matéria atualizada em 12/03/2002 às 00h00

São Paulo – Quatro envolvidos no seqüestro de Patrícia Abravanel  foram condenados ontem pelo  crime. Cada um passará ao menos dez anos em regime fechado. Durante esse período, os condenados não terão direito a progressividade para o regime semi-aberto, por terem sido incluídos na Lei de Crimes Hediondos. A pena para seqüestro é a maior prevista na lei. Em 21 de agosto do ano passado, Patrícia Abravanel, filha do apresentador Sílvio Santos, foi levada quando saía de sua casa no Morumbi (zona oeste de São Paulo). Na madrugada do dia 28, após o pagamento de R$ 500 mil de resgate, Patrícia foi libertada. Esdra Dutra Pinto recebeu a maior punição, de acordo com a decisão do juiz Adilson de Araújo, da 30ª Vara Criminal: 19 anos e seis meses de reclusão. Ele terá que passar 15 anos em regime fechado por ter sido condenado nos crimes de extorsão mediante seqüestro e posse de arma. Tatiane Pereira, por ter guardado as armas junto com Dutra Pinto e seu irmão Fernando (morto em janeiro), também foi condenada por dois crimes: terá 15 anos de pena, 13 deles em regime fechado. Outros dois envolvidos, Luciana Santos Sousa, a Jenifer, e Marcelo Batista Santos, o Pirata, foram condenados a 15 anos. Na sentença, o juiz afirma que a morte de Fernando Dutra Pinto “impediu interessante debate jurídico” sobre o tipo de crime cometido na invasão da casa do empresário e apresentador ocorrido em 30 de agosto. Segundo Luiz Flávio Gomes, 44, presidente do Centro de Estudos Criminais de São Paulo, embora prevista no código, a pena ficou “alta”. “Se isso servisse de exemplo, seria interessante, mas, obviamente, nem todo mundo vai tomar consciência da sentença. O que impressiona a sociedade é quando o sujeito é preso e só.” O juiz aposentado afirma que, na atual conjuntura do sistema carcerário brasileiro, o grande tempo em regime fechado estipulado para os seqüestradores é “quase uma pena de morte”.

Mais matérias
desta edição