app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5717
Nacional

ACM diz que se FHC for investigado ter� problemas

Salvador e Brasília – Em meio a crise entre o PFL e o governo, o ex-senador Antonio Carlos Magalhães (PFL) declarou ontem que “se Fernando Henrique (Cardoso, presidente da República) for investigado também  vai ter problemas”. Mais uma vez, ACM deu sinai

Por | Edição do dia 16/03/2002 - Matéria atualizada em 16/03/2002 às 00h00

Salvador e Brasília – Em meio a crise entre o PFL e o governo, o ex-senador Antonio Carlos Magalhães (PFL) declarou ontem que “se Fernando Henrique (Cardoso, presidente da República) for investigado também  vai ter problemas”. Mais uma vez, ACM deu sinais de que o PSDB arrecadou dinheiro através de caixa 2 para as campanhas presidenciais de FHC. ACM, parceiro de FHC nas duas eleições presidenciais, reafirmou ter testemunhado a doação do ex-presidente do Bamerindus e ex-ministro José Eduardo Vieira de R$ 5 milhões e a colocação de um avião à disposição de Fernando Henrique. “Não posso garantir sobre o caixa 2, assisti ele (Vieira) declarar que iria passar esses R$ 5 milhões para a campanha de saída, logo, logo, logo”, disse, numa entrevista à Radio Metropole de Salvador. ACM admitiu que as fotos dos R$ 1,3 milhão apreendidos na empresa de Jorge Murad afetou a candidatura de Roseana Sarney, mas alega que os outros candidatos ao Planalto também dispõem de recursos, “até maiores”, embora, não à mostra. “O dinheiro pode não estar vivo como apareceu ali, mas está em bancos, em outras mãos. A candidatura do governo (do senador José Serra-PSDB) por exemplo, gasta dez vezes mais do que aquilo e do dinheiro público”, afirmou ACM. “Quero saber como as propagandas são pagas e, agora, como se pagou R$ 1,8 milhão (o Ministério da Saúde) para rastrear telefone, pagar espionagem, isso é uma vergonha”, afirmou. Para ACM, “o jogo vai zerar” quando tudo for apurado. Ontem, o procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, considerou procedente a reclamação da governadora Roseana Sarney de que tem foro privilegiado no Superior Tribunal de Justiça para as investigações sobre as denúncias de desvio de recursos da Sudam.

Mais matérias
desta edição