app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5751
Nacional

PFL freia vota��o da Lei da Morda�a na CCJ do Senado

Brasília – A bancada do PFL no Senado brecou a iniciativa do  relator Bello Parga (PFL-MA), de  votar hoje, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o projeto  de lei da chamada Lei da Mordaça – que, entre outras medidas,  pune os procuradores que div

Por | Edição do dia 20/03/2002 - Matéria atualizada em 20/03/2002 às 00h00

Brasília – A bancada do PFL no Senado brecou a iniciativa do  relator Bello Parga (PFL-MA), de  votar hoje, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o projeto  de lei da chamada Lei da Mordaça – que, entre outras medidas,  pune os procuradores que divulgarem informações sob investigação do Ministério Público. Não sem motivos, a decisão de Bello Parga foi tida como retaliação contra os procuradores que apuram irregularidades na empresa da governadora do Maranhão, Roseana Sarney, e de seu marido Jorge Murad. Em primeiro lugar, pelas estreitas ligações do relator com a família Sarney, a quem deve a carreira política. Depois, por ocorrer no mesmo dia em que o senador José Sarney (PMDB-AP) promete subir à tribuna para defender sua filha. Parga afirma que houve apenas coincidência. Ele não soube explicar por que só agora resolveu investir no parecer que entregou à comissão em dezembro. O certo é que não convenceu nem mesmo seus colegas de partido. O líder do PFL, José Agripino (RN), pediu ao presidente interino da CCJ, senador Osmar Dias (PDT-PR), que retire a matéria da pauta. “O assunto não é oportuno”, admitiu. Para Osmar Dias, é difícil acreditar que o relator tenha se deixado levar unicamente pela vontade de apresentar seu parecer. “Ele pode ter se arrependido do que fez”, defende. “Mas que fez com intenção certa, fez”.

Mais matérias
desta edição