app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Nacional

DIA DE CAOS EM SÃO PAULO: RUAS ALAGADAS E MORADORES ILHADOS

Capital paulista tem o maior volume de chuva para o mês de fevereiro dos últimos 37 anos

Por G1 | Edição do dia 11/02/2020 - Matéria atualizada em 11/02/2020 às 06h00

A chuva forte que atingiu São Paulo a partir do fim da tarde deste domingo (9) provocou destruição e caos. A tempestade fez rios transbordarem, causou dezenas de alagamentos, deslizamentos e travou a cidade. De acordo com a prefeitura, o temporal ganhou força a partir da 1h desta segunda-feira (10). O volume de água registrado no intervalo de 24 horas foi o maior para um mês de fevereiro em 37 anos, informou o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Os rios Tietê e Pinheiros transbordaram, o que não ocorria desde março de 2016. Segundo a Secretaria Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente, desde 2005 o Pinheiros não transbordava na integridade de sua extensão. A duas marginais ficaram com trechos intransitáveis. A circulação dos transportes públicos (ônibus, metrô e trens) ficou comprometida, e a prefeitura suspendeu o rodízio de veículos, medida que vai continuar a valer durante toda a terça-feira (11). Por volta das 18h30 desta segunda, todas as zonas da cidade saíram do estado de atenção para alagamentos – o status havia sido determinado à 1h02. Os estados de alerta foram mantidos apenas nas marginais Pinheiros e Tietê, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Paulo. Diversas pessoas ficaram ilhadas em casas e ruas, e muita gente não conseguiu chegar ao trabalho (clique aqui para ler relatos dos afetados pela chuva). Botes foram usados em operações de resgate. A recomendação dos Bombeiros e da Defesa Civil do Estado é que as pessoas evitem sair de casa.

Além disso, ficaram alagados a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) e o Campo de Marte, aeroporto da Zona Norte da capital.

Após uma manhã caótica, São Paulo chegou a ter 149 pontos de alagamento nesta segunda. Até a última atualização desta reportagem, 86 pontos de alagamento continuavam ativos, sendo 60 intransitáveis e 26 transitáveis (clique aqui para ver as atualizações). Os Bombeiros registraram 1.018 acionamentos por enchentes na Grande São Paulo, com 182 desabamentos e 206 quedas de árvores. Em Osasco, um menino de 8 anos foi soterrado e resgatado com vida. A Prefeitura da cidade decretou estado de calamidade, e outros municípios da Região Metropolitana tiveram desabamentos, com pessoas desalojadas. O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, declarou que os moradores da cidade que se sentirem prejudicados pelos alagamentos podem pedir ressarcimento de impostos nas Subprefeituras. Os valores, segundo ele, serão ressarcidos no IPTU de 2021. O temporal foi provocado pela passagem de uma frente fria pela costa paulista, associada a uma área de baixa pressão atmosférica. Segundo o CGE, em dez dias já choveu cerca de 208 mm, o que equivale a 96% da média esperada para o mês de fevereiro (216,7 mm). Apenas entre 7h e as 13h desta segunda, o volume foi de 88,7 mm na cidade. Ainda de acordo com o CGE, o tempo deve permanecer instável nesta terça.

Mais matérias
desta edição