app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Nacional

PF vai enquadrar invasores da Buritis em cinco crimes

Belo Horizonte – O governo federal vai processar os líderes  da invasão da Fazenda Córrego  da Ponte, em Buritis (MG), por  cinco crimes. A fazenda, de propriedade dos filhos do presidente Fernando Henrique Cardoso, foi ocupada no fim de semana por milita

Por | Edição do dia 27/03/2002 - Matéria atualizada em 27/03/2002 às 00h00

Belo Horizonte – O governo federal vai processar os líderes  da invasão da Fazenda Córrego  da Ponte, em Buritis (MG), por  cinco crimes. A fazenda, de propriedade dos filhos do presidente Fernando Henrique Cardoso, foi ocupada no fim de semana por militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Os detidos responderão na Justiça às acusações de formação de quadrilha, furto, invasão de propriedade agrícola, desobediência à ordem judicial e cárcere privado. A estratégia judicial do governo foi traçada na manhã de ontem, numa reunião entre FHC, o ministro da Justiça, Aloysio Nunes Ferreira, e o diretor-geral da Polícia Federal, Agílio Monteiro Filho. O inquérito será instaurado na Justiça Federal de Brasília. Na reunião, os três também decidiram preparar uma estratégia para evitar protestos e manifestações do MST. Os líderes sem-terra planejam retaliações contra o governo em função da prisão das 16 lideranças em Buritis. De acordo com eles, o governo descumpriu um acordo firmado para a desocupação da fazenda sem a prisão dos sem-terra. O MST ainda ocupa a Fazenda Barriguda, a cerca de 25 quilômetros de Buritis, e usou a propriedade para realizar uma assembléia. No encontro, ficou definido que um grupo de sem-terra ficará acampado diante do Ministério da Justiça. Além do grupo que marchará até Brasília, o MST pretende armar um acampamento no centro de Buritis. De acordo com Gilmar de Oliveira, um dos líderes do movimento, a ocupação da fazenda da família de FHC foi “bem recebida” entre os sem-terra, e deverá dar impulso às manifestações contra o governo. Os advogados do movimento estão tentando registrar na Justiça um pedido de relaxamento da prisão dos 16 líderes presos no fim de semana. A medida, porém, é improvável. Críticas As invasões do MST nos últimos dias provocaram duras críticas de todos os setores do governo, a começar pelo presidente. FHC ficou extremamente irritado com a ação dos sem-terra em Buritis. Ontem, foi a vez de José Serra, candidato preferido de FHC à sucessão, atacar o procedimento do MST. Para o tucano, a tática do MST é “uma maneira torta, bandida de se fazer política no Brasil”. O movimento ainda ocupa uma fazenda no interior paulista. A propriedade é de um amigo de FHC.

Mais matérias
desta edição