app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Nacional

“Big Brother” define hoje ganhador de R$ 500 mil

O “Big Brother Brasil” chega ao final, hoje à noite, com a disputa entre os três participantes restantes: o cantor André, a modelo Vanessa e o dançarino Kleber, que venceu o franco-angolano Sérgio, no último domingo. Ao contrário do que aconteceu até

Por | Edição do dia 02/04/2002 - Matéria atualizada em 02/04/2002 às 00h00

O “Big Brother Brasil” chega ao final, hoje à noite, com a disputa entre os três participantes restantes: o cantor André, a modelo Vanessa e o dançarino Kleber, que venceu o franco-angolano Sérgio, no último domingo. Ao contrário do que aconteceu até agora, quando a escolha foi para eliminação de participantes, desta vez os telespectadores votarão em quem eles querem que continue no programa. O vencedor conquistará o prêmio de R$ 500 mil. O último programa do primeiro “Big Brother” da Rede Globo vai ao ar logo após a novela “O Clone”. O cabeleireiro Sérgio foi o nono eliminado do programa, com 52% dos votos a favor de sua saída do programa. Depois de um longo abraço na namorada, Vanessa, e nos outros dois “sobreviventes”, Sérgio saiu da casa e foi recebido pela irmã, que não via há quatro meses, e alguns amigos. Sérgio havia pedido para André, o último líder, que votasse nele para que não passasse pelo constrangimento de votar em Vanessa e vice-versa. O apresentador Pedro Bial elogiou a atitude do cabeleireiro. “O Sérgio tomou essa iniciativa num gesto de cavalheirismo, para preservar a Vanessa”, afirmou. Sérgio, que ganhou um carro da produção, nunca havia ido para a berlinda. Kleber já havia enfrentado a votação por quatro vezes, mas foi conquistando o público ao mostrar o seu estilo ingênuo e atrapalhado. Choro de Kleber Depois de quatro indicações para o “paredão”, o finalista Kleber de Paula Barbosa, 24 anos, é hoje um dos mais fortes candidatos ao prêmio. “Ele é uma pessoa pura, humilde, sincera e com muita fé em Deus”, define a mãe coruja, Suely de Paula. Suely disse que não gostou da maneira como o filho foi tratado pelos companheiros da casa. “Ele foi humilhado por falta de cultura. Eu tenho certeza de que essas pessoas vão se sentir envergonhadas pelo que fizeram”. Satisfeita com o carisma e popularidade que Kleber conquistou com o público, a mãe já sonha com a oportunidade de ver o filho realizar seus sonhos. “Eu não sei o que ele vai fazer com o dinheiro. Mas meu filho é um vitorioso. Tenho muito orgulho dele. Ele vai conseguir tudo o que sempre sonhou”. Suely disse ter sofrido muito  quando viu o filho chorar por causa  de Maria Eugênia, a boneca criada por Sérgio que acompanha Kleber  “em todos os momentos” no programa. As cenas foram exibidas no episódio do último domingo, quando o dançarino foi ao confessionário dizer que a boneca era muito importante. “Ele mostrou para o Brasil que está o tempo inteiro sozinho na casa, ele não tem amigos lá”. A mãe contou que Kleber estudou até o Colegial e, aos 19 anos, foi para Porto Seguro, Bahia, entregar panfletos para sobreviver até conseguir uma oportunidade como dançarino de axé music. Depois de três anos  e meio, o Bam Bam foi ao Rio de Janeiro – onde mora atualmente - para  tentar ser paquito da Xuxa, conseguindo participar do especial Planeta Verão. “O Kleber é um lutador. Ele começou a trabalhar com a minha mãe como vendedor de coco e já foi até humilhado em uma danceteria porque não tinha dinheiro”, afirmou a irmã Kelly de Paula Barbosa, 27. Cartões Os três finalistas do programa “Big Brother” ganharam, no começo da tarde de ontem, um cartão de banco, cada um. Os cartões são nominais e servirão de acesso às contas abertas para os três. O recebimento do cartão causou reações diferentes nos finalistas. Kleber ficou encantado, e chegou a beijar o pedaço de plástico. “Quem sabe eles não depositam uma grana extra pra gente?”, questionou ele. Vanessa achou o presente esquisito. “E se não ganharmos? Teremos a conta assim mesmo?”, duvidou a modelo. André, que tem agido de forma esquisita recentemente, apenas disse: “Eu não estava errado”. O cantor havia perguntado ao apresentador Pedro Bial se ganharia uma conta de banco.

Mais matérias
desta edição