app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Nacional

Mulher est� gr�vida h� 2 meses de um clone, diz m�dico italiano

Rio – Uma mulher estaria grávida há oito semanas de um clone,  obra do controverso médico italiano Severino Antinori. A informação está nas edições eletrônicas da revista britânica New Scientist e do jornal Gulf News, dos Emirados Árabes Unidos, onde Anti

Por | Edição do dia 06/04/2002 - Matéria atualizada em 06/04/2002 às 00h00

Rio – Uma mulher estaria grávida há oito semanas de um clone,  obra do controverso médico italiano Severino Antinori. A informação está nas edições eletrônicas da revista britânica New Scientist e do jornal Gulf News, dos Emirados Árabes Unidos, onde Antinori teria feito o anúncio. Na clínica de reprodução assistida que o médico mantém, em Roma, os funcionários recusaram-se a confirmar ou negar a informação e disseram que dariam um retorno “em duas semanas”. Segundo a correspondente da GloboNewsTV em Roma, Gina Marques, Antinori está em Roma, mas não quer dar entrevistas. Antinori teria anunciado a gravidez em uma conferência científica na cidade de Dubai. “Nosso projeto está em um estágio muito avançado. Uma mulher entre milhares de casais inférteis no programa está grávida de oito semanas”, disse Antinori, segundo Gulf News, ao responder uma pergunta da platéia sobre o andamento da pesquisa. Ele não revelou a nacionalidade da mulher, nem onde ela está. Na conferência, Antinori disse que adotou medidas para reduzir o risco de o clone nascer com deformações, antes de implantar o embrião no útero. O médico reconheceu que alguns clones de animais apresentam sinais de envelhecimento precoce, mas que isso não será necessariamente verdade para a clonagem humana. “Vemos resultados diferentes em espécies diferentes”, disse o italiano, que culpou em parte os cientistas envolvidos na clonagem de animais pela baixa taxa de sucesso das pesquisas. Os experimentos foram programados e executados de maneira pobre, afirmou o médico. Cerca de 5 mil casais com dificuldades para ter filhos, entre eles alguns brasileiros, inscreveram-se no polêmico programa de clonagem reprodutiva promovido por Antinori em parceria com o andrologista cipriota Panos Zavos, dono de uma clínica em Kentucky, nos Estados Unidos. No ano passado, Antinori havia dito que o primeiro clone de um ser humano nasceria em 2002. A professora de genética Mayana Zatz, da USP, tem dúvidas sobre o anúncio de Antinori, mas disse que, tendo em vista as experiências com animais, o mais difícil seria esse bebê nascer. O médico brasileiro Roger Abdelmassih disse que acha perfeitamente possível que Antinori tenha conseguido produzir um embrião por clonagem e implantado no útero de uma mulher. “A ciência já produziu embriões humanos por clonagem e é possível que Antinori tenha conseguido fazer vingar a gravidez em uma das mulheres. O problema é o que vamos obter depois dessa gravidez”, disse o médico, referindo-se ao risco de o bebê nascer com graves problemas de saúde.

Mais matérias
desta edição