app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5749
Nacional

Empresa brasileira tira funcion�rios do Iraque

A Construtora Norberto Odebrecht S.A. anunciou ontem a retirada de seus funcionários do Iraque depois do desaparecimento de um engenheiro brasileiro, que pode ter sido seqüestrado por rebeldes nas proximidades da cidade de Beiji, ao norte de Bagdá (capita

Por | Edição do dia 21/01/2005 - Matéria atualizada em 21/01/2005 às 00h00

A Construtora Norberto Odebrecht S.A. anunciou ontem a retirada de seus funcionários do Iraque depois do desaparecimento de um engenheiro brasileiro, que pode ter sido seqüestrado por rebeldes nas proximidades da cidade de Beiji, ao norte de Bagdá (capital). O brasileiro, ainda não identificado, passou a fazer parte da lista de 30 estrangeiros desaparecidos ou seqüestrados no Iraque, de acordo com a France Presse. Ele estava em um comboio que sofreu uma emboscada de insurgentes iraquianos ontem. Na ação, dois funcionários da empresa de segurança britânica Janusian – um britânico e outro iraquiano – foram mortos. A Embaixada do Brasil em Amã (Jordânia) disse que ainda não tem informações sobre o seqüestro do funcionário da construtora, mas disse crer que ele foi capturado por criminosos e não por terroristas. O Brasil não tem embaixada no Iraque. O seqüestro de estrangeiros tem sido uma forma de grupos rebeldes pressionarem os países, que participam das forças de coalizão – lideradas pelos Estados Unidos –, para retirar suas tropas do país. Muitos dos seqüestros terminaram com a morte dos reféns, muitos deles por decapitação. Ataque Um comunicado colocado em um site árabe e atribuído ao grupo militante iraquiano Exército de Ansar Al Sunna assumiu um ataque e seqüestro na cidade de Beiji no Iraque, a mesma região onde o brasileiro desapareceu na quarta-feira de manhã. Ainda não se está claro se o grupo se refere especificamente ao ataque em que o brasileiro desapareceu, embora esse tenha sido o único ataque com vítimas na região nos últimos dias e haja coincidências entre a versão do grupo e as notícias já divulgadas sobre o desaparecimento do brasileiro. O grupo não menciona o brasileiro, mas diz que um sueco e um britânico foram mortos na operação. No ataque de quarta em que o brasileiro foi provavelmente seqüestrado, um iraquiano e um britânico foram mortos, de acordo com informações do Exército americano em Tikrit. Os dois mortos teriam sido qualificados pelo comunicado do Exército Ansar Al Sunna de “agentes trabalhando para o aparato de inteligência”. Por medida de segurança, a construtora não informa o nome de seu funcionário desaparecido no território iraquiano e nem dá detalhes sobre seu trabalho na região.

Mais matérias
desta edição