app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5758
Nacional

Lula defende combate mundial contra a fome

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou ontem do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. Lula voltou a pedir ajuda dos países ricos para combater a fome mundial e apresentou números positivos da economia brasileira. O presidente sugeriu aos

Por | Edição do dia 29/01/2005 - Matéria atualizada em 29/01/2005 às 00h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou ontem do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. Lula voltou a pedir ajuda dos países ricos para combater a fome mundial e apresentou números positivos da economia brasileira. O presidente sugeriu aos chefes de Estado a criação de um fundo de combate à pobreza sem que seja construído junto uma nova estrutura. “A primeira coisa que precisamos ter claro é o seguinte, é preciso que não criemos uma nova estrutura para cuidar de qualquer fundo porque uma nova estrutura vai gastar metade do dinheiro com a burocracia”, afirmou, acrescentando que poderia aproveitar os fundos já existentes das Nações Unidas. Pela proposta do presidente, o dinheiro para o órgão poderia vir da comercialização de armas ou de transações financeiras. “[Poderia ser] Uma coisa que fosse substancialmente forte, dirigida para os países mais pobres, criar organismos multilaterais, com países [ricos] coordenando a utilização desses recursos para saúde ou educação”, sugeriu Lula, que acredita que dessa maneira “daqui a 10, 20 anos os países beneficiados não precisarão mais de ajuda”. Lula afirmou ainda que a atual política de doação de recursos é “dispersa”, sem direção, facilitando que o dinheiro se perca. “Eu imagino que não tem uma única forma de contribuição.” Lula cobrou o fim dos subsídios agrícolas dos países ricos. “Essa é uma coisa estrutural que pode ajudar e muito os países pobres”, argumentou. Ainda sobre a fome, o presidente avaliou que houve um “relativo avanço” em relação a sua última participação em Davos, em 2003. “A fome não é um problema de quem está com fome. A fome é um problema de quem está comendo. Nós é que temos que assumir a responsabilidade de estender a mão àqueles que não estão comendo”, afirmou. Após o discurso de abertura, Lula falou novamente para os participantes do fórum. O presidente fez um balanço dos seus dois anos de governo mencionando a queda da inflação, o crescimento econômico, o aumento da produção industrial e a geração de empregos. Lula também ressaltou que o Brasil recebe atualmente mais investimentos externos e exaltou a produção da safra agrícola, quase sempre comparando os índices de 2002 e 2004. “Fizemos com que o Brasil tivesse uma forte política de investimentos. Estamos modernizando os portos, ferrovias e aeroportos para escoar melhor a produção.” Bono Vox O vocalista da banda U2, Bono Vox, disse ontem, em entrevista a jornalistas brasileiros, que o presidente Lula é um “grande homem e que mudou a agenda de Davos”. O cantor irlandês é uma das personalidades que participam do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, e vem defendendo questões ligadas à área social. Na quinta-feira, ele participou de uma palestra sobre a África ao lado do primeiro-ministro britânico, Tony Blair, dos presidentes da África do Sul, Thabo Mbeki, e da Nigéria, Olusegun Obasanjo, além do fundador da Microsoft, Bill Gates, e do ex-presidente americano Bill Clinton.

Mais matérias
desta edição