app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5713
Nacional

Promotor teme guerra de tr�fico com ida de Beira-Mar para o Rio

Rio – O promotor da 3ª Central de Inquérito do Ministério Público de Duque de Caxias, Rogério Lima Sá Ferreira, lamentou  a transferência do traficante Luiz  Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, para o Rio. Investigando a atuação do traficante desd

Por | Edição do dia 27/04/2002 - Matéria atualizada em 27/04/2002 às 00h00

Rio – O promotor da 3ª Central de Inquérito do Ministério Público de Duque de Caxias, Rogério Lima Sá Ferreira, lamentou  a transferência do traficante Luiz  Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, para o Rio. Investigando a atuação do traficante desde 1999, o promotor afirma que a vinda do traficante provocará uma guerra aberta pelo controle do tráfico de drogas no Rio. “Rio terá que arcar com um aumento da criminalidade, pois a vinda de Beira-Mar vai deflagrar uma guerra entre os traficantes”, prevê o promotor. Apesar de o traficante negar ligações com facções criminosas e se dizer apenas um distribuidor de grandes quantidades de drogas no atacado, os promotores acreditam que a disputa entre ele e inimigos, como o traficante preso Ernaldo Pinto de Medeiros, o Uê, deve incluir a guerra pelo controle das bocas-de-fumo. Ferreira defende que, por suas ligações com o crime organizado internacional, um criminoso como Beira-Mar deveria cumprir pena em um presídio federal de segurança máxima, em outro Estado. “Estranho essa transferência. Por suas ligações com traficantes do Paraguai, Colômbia e outros países, acho que ele deveria cumprir pena no presídio da Polícia Federal, em Brasília”, apontou o promotor. A atuação dos promotores da 3ª Central de Inquéritos de Duque de Caxias já resultou no seqüestro de cerca de R$ 5 milhões em bens do traficante e na denúncia de mais de 40 pessoas envolvidas na quadrilha de Beira-Mar.

Mais matérias
desta edição