app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Nacional

Mapa da viol�ncia: Brasil � 1� em mortes por arma de fogo

Brasília – As comparações com dados internacionais mostram que o padrão da violência que vitima o jovem e a sociedade brasileira em geral  está ligado ao porte de arma de  fogo. Enquanto na maioria dos  60 países analisados no Mapa da Violência 3 prevalec

Por | Edição do dia 04/05/2002 - Matéria atualizada em 04/05/2002 às 00h00

Brasília – As comparações com dados internacionais mostram que o padrão da violência que vitima o jovem e a sociedade brasileira em geral  está ligado ao porte de arma de  fogo. Enquanto na maioria dos  60 países analisados no Mapa da Violência 3 prevalecem as mortes por acidentes de trânsito ou os suicídios, no Brasil predominam os homicídios, principalmente envolvendo o uso de armas. No ranking do homicídio juvenil elaborado com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o 3º colocado, com uma taxa de óbito de 48,5 por grupo de 100 mil jovens na faixa etária de 15 a 24 anos - atrás apenas da Colômbia e de Porto Rico. Quando se leva em conta a população em geral, o Brasil é o 2º, perdendo apenas para a Colômbia. O ranking incluiu países que forneceram informações a partir de 1996 à OMS. No Brasil, as chances de um jovem morrer assassinado são mais altas do que as do restante da população – e a probabilidade de que isso ocorra também é maior do que em muitos lugares do mundo. No ranking internacional, o País ocupa a 9ª posição: um jovem que está na faixa etária de 15 a 24 anos tem 84,4 mais chances de morrer do que uma pessoa de outra idade. Nessa lista, estão à frente: Malta, Ilhas Cayman, Porto Rico, Azerbaijão, Estados Unidos, Israel, Granada e Colômbia. O País está mais bem situado, no entanto, nas estatísticas internacionais que avaliam as chances de as pessoas morrerem em acidentes de trânsito ou cometerem suicídio. No ranking das mortes no trânsito, o Brasil é o 41º colocado e no de suicídios está em 51º lugar. O estudo também mostra que apenas em 6 dos 60 países analisados o número de homicídios é proporcionalmente maior do que o de acidentes de transporte: Albânia, Azerbaijão, Brasil, Colômbia, Granada e Porto Rico. Quando a referência são os suicídios, apenas 10 países têm mais homicídios do que este tipo de morte (Albânia, Armênia, Azerbaijão, Bahamas, Brasil, Colômbia, Equador, Granada, México e Porto Rico).

Mais matérias
desta edição