app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Nacional

C�mara apura vazamento de documento

| Folhapress Brasília A pedido do presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PC do B-SP), a Corregedoria-Geral da Casa investiga o suposto vazamento de documento sigiloso da CPI do Tráfico de Armas. O deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS) é apontado como responsá

Por | Edição do dia 11/12/2005 - Matéria atualizada em 11/12/2005 às 00h00

| Folhapress Brasília A pedido do presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PC do B-SP), a Corregedoria-Geral da Casa investiga o suposto vazamento de documento sigiloso da CPI do Tráfico de Armas. O deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS) é apontado como responsável. Reportagem da revista IstoÉ desta semana diz que Pompeo teria usado cópia do depoimento de uma testemunha da CPI identificada apenas como “Z” para negociá-la com empresário supostamente envolvido no esquema de tráfico de armas na fronteira com a Argentina. Segundo a IstoÉ, “Z” havia sido incluída no programa federal de proteção a testemunhas, mas abandonou-o retornando à cidade de Uruguaiana onde teria sido vítima de atentado. Em seguida, de acordo com a revista, “Z” teria recebido convite para encontro no escritório de um advogado conhecido em Uruguaiana. No local, deparou-se com o empresário a quem “Z” havia acusado. Segundo “Z”, o empresário lhe fez proposta de suborno, mostrou a cópia do depoimento dele da CPI e, na frente, ligou para Pompeo. A conversa teria sido pelo telefone viva-voz. Na versão de “Z”, o deputado teria oferecido mais ajuda ao empresário. Em entrevista à reportagem na noite de sexta-feira, Pompeo negou todas as acusações de “Z”. “Sou vítima de bandidagem. Alguém usou meu nome e forjou um documento e um telefonema”, disse. O deputado gaúcho afirmou ter se colocado à disposição para que o assunto seja investigado. “Quero que vão a fundo nessa história”, disse. Para ele, vai ser fácil provar sua inocência.

Mais matérias
desta edição