app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Nacional

Uni�o volta a controlar rodovia federal

| GLOBO ONLINE Brasília A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse, na última sexta-feira, que o governo federal tomou a decisão de retomar temporariamente o controle sobre a realização de obras das estradas federais, que havia sido repassado para

Por | Edição do dia 25/12/2005 - Matéria atualizada em 25/12/2005 às 00h00

| GLOBO ONLINE Brasília A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse, na última sexta-feira, que o governo federal tomou a decisão de retomar temporariamente o controle sobre a realização de obras das estradas federais, que havia sido repassado para os estados, em dezembro de 2002, no fim do governo Fernando Henrique Cardoso. Segundo a ministra, o governo está retomando esse controle porque as estradas estão em situação muito ruim e a população não pode ser penalizada por isso. décimo-terceiro Nesta semana, em um de seus discursos de improviso, o presidente Lula disse que o governo federal repassou, em 2003, recursos para os governadores realizarem obras de manutenção nas rodovias federais em seus estados, mas gastaram os recursos em outras finalidades, como o pagamento do décimo-terceiro salário dos servidores. A acusação de Lula irritou alguns ex-governadores, como o mineiro Itamar Franco (ver matéria na página A8). Caso a caso A partir de janeiro, de acordo com a ministra, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai conversar com os governadores para decidir, caso a caso, como as obras serão feitas. Ela ressaltou que o governo não tem nenhuma responsabilidade sobre as precárias condições das estradas, afirmando que foram repassados para 16 estados brasileiros, R$ 1,8 bilhões, dinheiro para que os estados recuperassem 14,5 mil quilômetros de estradas. “Vamos retomar o controle de suas estradas para sua recuperação e vamos negociar, caso a caso. Os estados não utilizaram os recursos para a recuperação das estradas mas, agora, não interessa a ninguém discutir de quem foi a responsabilidade sobre isso” – ressaltou a ministra.

Mais matérias
desta edição