app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Nacional

Laudo aponta para suic�dio de general

Luiz Francisco Folhapress Brasília - Um laudo preliminar do Instituto Médico Legal (IML) de Brasília revela que o general brasileiro Urano Bacellar, 58, se matou com um tiro à queima-roupa, dentro da boca. A tese de suicídio, ainda não aceita pe

Por | Edição do dia 12/01/2006 - Matéria atualizada em 12/01/2006 às 00h00

Luiz Francisco Folhapress Brasília - Um laudo preliminar do Instituto Médico Legal (IML) de Brasília revela que o general brasileiro Urano Bacellar, 58, se matou com um tiro à queima-roupa, dentro da boca. A tese de suicídio, ainda não aceita pelo Exército, foi confirmada ontem pelo diretor-geral da Polícia Civil do Distrito Federal, Laerte Rodrigues de Bessa. Enterrado ontem no Rio de Janeiro, o general, comandante militar da missão da ONU no Haiti, foi encontrado morto no último sábado, em um hotel de Porto Príncipe, capital do país. “Pela característica do tiro e por não ter encontrado nenhuma lesão de defesa no corpo do general, o IML concluiu que houve suicídio. Faltam exames laboratoriais que vão constatar se houve ingerência de alguma substância química”, disse Bessa, segundo sua assessoria de imprensa. A divulgação do laudo preliminar surpreendeu as autoridades brasileiras e causou mal-estar dentro do governo. Pelo protocolo, os resultados do laudo deveriam ser repassados primeiramente ao Ministério da Defesa, que os encaminharia à Presidência da República e, por meio do Ministério das Relações Exteriores, à ONU. Ontem à tarde, a assessoria de imprensa do Ministério da Defesa informou que o ministro José Alencar, titular da pasta, não foi informado sobre o resultado do laudo. O comando do Exército, a ONU e o Itamaraty também não foram informados por Bessa sobre os resultados do laudo. Por sugestão do governo brasileiro, peritos da ONU também estão analisando as causas da morte do general. O computador pessoal do general, que morava em um hotel de Porto Príncipe, foi recolhido por investigadores da Polícia das Nações Unidas, que estão à procura de eventuais pistas que possam apontar as causas da morte de Bacellar. O Ministério da Defesa e o Exército anunciaram, ontem, o general-de-divisão Jeannot Jansen da Silva Filho, 58, como o segundo nome brasileiro a ser entrevistado pela ONU para a definição do novo comandante no Haiti. “Estou seguro e convicto de que o Exército me preparou muito bem para esse tipo de missão e que a considero uma missão como outra qualquer. Estou pronto e sou voluntário”, disse, em entrevista por telefone. Jeannot Jansen vai disputar a vaga com o também general-de-divisão José Elito Carvalho Siqueira, 57, indicado no início da semana pela Defesa como a então única opção brasileira para o cargo, vago com a morte do general Urano Bacellar, no último domingo. A ONU, porém, exigiu uma segunda opção para a sabatina, por isso a indicação às pressas do general Jeannot Jansen.

Mais matérias
desta edição