app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Nacional

Serraglio tamb�m vai citar Aldo e Jo�o Paulo em relat�rio

| Fernanda Krakovics Folhapress Brasília - Além de citar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o relator da CPI dos Correios, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), afirmou ontem que também vai incluir, no relatório final da Comissão, o ex-ministro Aldo

Por | Edição do dia 28/01/2006 - Matéria atualizada em 28/01/2006 às 00h00

| Fernanda Krakovics Folhapress Brasília - Além de citar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o relator da CPI dos Correios, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), afirmou ontem que também vai incluir, no relatório final da Comissão, o ex-ministro Aldo Rebelo (Articulação Política) e o ex-presidente da Câmara dos Deputados João Paulo Cunha (PT-SP), porque eles teriam sido informados do suposto esquema do mensalão. O relator ressalta, no entanto, que não vai responsabilizar nenhum dos três. “Eu vou relatar o que a CPI tem. O presidente da República foi avisado do “mensalão” em duas oportunidades por meio do deputado [cassado] Roberto Jefferson [PTB-RJ]”, disse ele, acrescentando: “Eu ainda não estou considerando-o responsável”. Jefferson afirmou ter avisado duas vezes, no início do ano passado, ao presidente Lula, da suposta compra de apoio parlamentar pelo governo. Lula afirma que pediu ao então ministro Aldo Rebelo, atual presidente da Câmara, que averiguasse. Aldo afirma que repassou a Lula a seguinte informação: devido a uma reportagem do “Jornal do Brasil” de 24 de setembro de 2004 que falava sobre a existência do “mensalão” na Câmara, o então presidente da Casa, João Paulo Cunha, determinou que a Corregedoria da Câmara investigasse o caso. Lula chamou o presidente da CPI, senador Delcídio Amaral (PT-MS), ao Palácio do Planalto na última quarta-feira e reclamou das intenções do relator. Serraglio está sem apoio na comissão, mesmo entre os oposicionistas, para incluir o presidente da República no documento. Para o relator, a reação seria uma continuidade da “blindagem” feita ao presidente da República.

Mais matérias
desta edição