app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Nacional

Explos�o mata um e fere quatro em BH

| GLOBO ONLINE Belo Horizonte Uma explosão, causada por um artefato de pólvora cloretada, também conhecida como pólvora branca, usada em fogos de artifício, matou uma pessoa e feriu outras quatro, uma delas gravemente numa loja de auto-peças na região

Por | Edição do dia 31/01/2006 - Matéria atualizada em 31/01/2006 às 00h00

| GLOBO ONLINE Belo Horizonte Uma explosão, causada por um artefato de pólvora cloretada, também conhecida como pólvora branca, usada em fogos de artifício, matou uma pessoa e feriu outras quatro, uma delas gravemente numa loja de auto-peças na região noroeste de Belo Horizonte. Segundo testemunhas, o homem identificado como soldado da Polícia Militar Tiago Ribeiro Trindade, do Batalhão da Rondas Tática Metropolitana (Rotam), chegou de moto e colocou uma sacola em cima do balcão. A explosão ocorreu minutos depois. O soldado foi lançado a dois metros de distância e morreu na hora. Várias peças da moto foram parar na calçada. A polícia espera autorização médica para tomar os depoimentos dos feridos, todos funcionários da loja. O laudo final da perícia fica pronto em 15 dias. Um dos feridos teve um corte na cabeça e outro teve lesões no olho e no braço. O estado mais grave é o de Diogo Marques, de 23 anos, que respira com a ajuda de aparelhos. Um outro rapaz, que ajudou no resgate das vítimas, teve intoxicação por causa da fumaça e também precisou de cuidados médicos. Aniversário Tiago era policial desde 2004 e faria 23 anos hoje. Ele não tinha registros de má conduta na ficha de serviço e não era treinado para lidar com explosivos. Segundo o comandante da Rotam, coronel César Romero Machado dos Santos, os militares não são autorizados a andar com explosivos pelas ruas da cidade. O comandante disse também que a Rotam não trabalha com o tipo de artefato que provocou a morte do soldado. A PM descartou, ainda, a possibilidade de um atentado. Segundo a corporação, a explosão deve ter sido provocada porque um dos funcionários da loja de auto-peças trabalhava com uma solda, próxima ao balcão onde o policial colocou a sacola com o explosivo. Segundo o Hospital Odilon Behrens, quatro feridos foram levados para o local. Um deles já teve alta. Acidente em Goiás Doze pessoas morreram e 39 ficaram feridas - sete em estado grave - em um acidente com um ônibus de turismo anteontem à noite. O acidente aconteceu na altura do km 18 da rodovia GO-139, próximo a Corumbaíba (213 km de Goiânia), na divisa entre Goiás e Minas Gerais. O veículo seguia de São Paulo para Teresina (PI) e caiu em uma ribanceira. Onze passageiros, incluindo duas crianças, morreram logo após o acidente, por volta das 23h30 de anteontem. Os corpos foram para Catalão (GO). A 12ª morte foi confirmada no fim da tarde de ontem. Osvaldino Alves Batista morreu durante cirurgia no Hospital de Urgências de Goiânia por volta das 12h30. Os casos mais graves foram encaminhados à capital goiana, e os levemente feridos atendidos em hospitais da região -nos municípios de Corumbaíba (GO), Caldas Novas (GO), Araguari (MG) e Uberlândia (MG). Segundo a Polícia Rodoviária Federal, há suspeitas de que os passageiros eram sacoleiros que haviam saído do Piauí para fazer compras em São Paulo.

Mais matérias
desta edição