app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Nacional

Minist�rio do Trabalho afasta servidores por irregularidades

| Geralda Doca O Globo Brasília DF - O Ministério do Trabalho informou na noite de ontem que 10 funcionários, e não 12, como havia informado o ministro Luiz Marinho, foram afastados por suspeita de irregularidades no setor de informática. Eles são acus

Por | Edição do dia 04/02/2006 - Matéria atualizada em 04/02/2006 às 00h00

| Geralda Doca O Globo Brasília DF - O Ministério do Trabalho informou na noite de ontem que 10 funcionários, e não 12, como havia informado o ministro Luiz Marinho, foram afastados por suspeita de irregularidades no setor de informática. Eles são acusados de tentar obter vantagens pessoais da Cobra Computadores, empresa do Banco do Brasil contratada em setembro de 2004 por R$ 9,2 milhões, sem licitação, para desenvolver um sistema de informática para o programa Primeiro Emprego. Segundo o Ministério do Trabalho, os funcionários foram afastados em agosto de 2005, depois de uma denúncia anônima encaminhada à pasta. Entre os funcionários está o secretário-executivo, Alencar Ferreira, que pediu exoneração nesta semana. Segundo nota oficial, o servidor de carreira Waldomiro Antonio Pinheiro não é suspeito de qualquer envolvimento no esquema. O ministro Luiz Marinho havia anunciado o afastamento de 12 funcionários, que estariam dificultando o acesso da empresa às informações necessárias para desenvolvimento do programa em troca de vantagens pessoais. O ministro não quis dar detalhes do esquema alegando que as investigações correm em sigilo e afirmou que decidiu tornar público o assunto depois que tomou conhecimento de que a revista IstoÉ teve acesso a informações da sindicância interna. Luiz Marinho contou que a denúncia chegou ao ministério em agosto, um mês depois que ele assumiu a pasta, e determinou que fosse aberta sindicância para apurar o caso. Marinho disse ainda que a Procuradoria-Geral da República e a Controladoria Geral da União (CGU) já foram informadas das denúncias.

Mais matérias
desta edição