app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5732
Nacional

Verde-e-amarelo d� o tom na Sapuca�

PAULA AUTRAN DANIEL PEREIRA O Globo e Globo Online Cada escola tem suas cores, mas o verde-e-amarelo vai pincelar pelo menos dez das 14 agremiações do Grupo Especial. Em ano de eleições e de Copa do mundo, brasilidade e ufanismo não vão faltar em en

Por | Edição do dia 26/02/2006 - Matéria atualizada em 26/02/2006 às 00h00

PAULA AUTRAN DANIEL PEREIRA O Globo e Globo Online Cada escola tem suas cores, mas o verde-e-amarelo vai pincelar pelo menos dez das 14 agremiações do Grupo Especial. Em ano de eleições e de Copa do mundo, brasilidade e ufanismo não vão faltar em enredos mais explícitos como o da Portela (“Brasil, mostra tua cara”, sobre a eficiência, a capacidade, a competência intelectual e técnica, a inventividade, a criatividade e, ufa!, a simpatia dos brasileiros) e o da Vila Isabel (“Soy loco por ti, América”), que diz que “o melhor do Brasil é o brasileiro” e que “a nação brasileira conseguirá transformar em realidade o sonho de Bolívar” de fazer um “novo mundo”, uma só nação livre. Grande Rio, Caprichosos de Pilares, Beija-Flor e Imperatriz exaltarão, respectivamente, o Amazonas, o Espírito Santo, Poços de Caldas e Santa Catarina. Na mesma linha, a Mangueira vem de “Das águas do Velho Chico nasce um rio de esperança”. Já a Porto da Pedra optou por falar das mulheres do Brasil. A Viradouro mostrará a história da arquitetura e das folias no País. E o Império abordará a religiosidade do brasileiro. A apuração do desfile do Grupo Especial terá as mesmas regras de 2005. Antes da abertura dos envelopes com as notas, a Liga Independente das Escolas de Samba sorteará a ordem dos quesitos, que valerá caso seja necessário o desempate entre duas ou mais escolas. Cada quesito será julgado por quatro jurados. Todas as notas serão válidas e poderão ser entre 7 e 10, com frações decimais. Os envelopes serão abertos na Quarta-Feira de Cinzas, a partir das 15h45. ARQUIBANCADA Este ano, 4 mil pessoas poderão acompanhar de perto e gratuitamente o desfile das escolas de samba. Isso porque as arquibancadas gratuitas que ficam na Avenida Presidente Vargas, o chamado setor zero, aumentaram de capacidade. Antes, ele reunia 3 mil foliões, e o público se espremia para ver o “esquenta” das escolas. Por causa das poucas vagas de estacionamento próximo à Sapucaí, recomenda-se que o transporte até a avenida seja feito de metrô ou ônibus. Toda a estrutura em torno do evento será idêntica à de 2005. Este ano, 4 mil pessoas poderão acompanhar de perto e gratuitamente o desfile das escolas de samba. Isso porque as arquibancadas gratuitas que ficam na Avenida Presidente Vargas, o chamado setor zero, aumentaram de capacidade. Antes, ele reunia 3 mil foliões, e o público se espremia para ver o “esquenta” das escolas. Por causa das poucas vagas de estacionamento próximo à Sapucaí, recomenda-se que o transporte até a avenida seja feito de metrô ou ônibus. Toda a estrutura em torno do evento será idêntica à de 2005.

Mais matérias
desta edição