app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Nacional

MST protesta durante confer�ncia no RS

| FOLHA ONLINE Porto Alegre A Conferência Internacional sobre Reforma Agrária e Desenvolvimento Rural, convocada pela FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação), teve início ontem em Porto Alegre em meio à tensão causada pela

Por | Edição do dia 07/03/2006 - Matéria atualizada em 07/03/2006 às 00h00

| FOLHA ONLINE Porto Alegre A Conferência Internacional sobre Reforma Agrária e Desenvolvimento Rural, convocada pela FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação), teve início ontem em Porto Alegre em meio à tensão causada pela invasão de uma grande fazenda em Coqueiros do Sul (RS). Os 1.800 membros do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) que ocuparam a fazenda Guerra há uma semana se negaram a cumprir o ultimato dado pela Justiça para deixar a área, e ameaçam resistir a uma tentativa de despejo por parte da polícia. “Não vamos sair. Já construímos 500 casas e uma escola de madeira na propriedade, e esperamos que o governo chegue a um acordo com os proprietários e exproprie a fazenda”, disse um dirigente do MST. A investida do movimento já soma 19 invasões em Pernambuco, em três dias, com cerca de 2.000 famílias mobilizadas. Os sem-terra dizem pretender tomar 30 fazendas e engenhos em vários pontos do estado até o dia 12. Um dos objetivos é chamar a atenção da Conferência Internacional da FAO sobre reforma agrária. As autoridades regionais informaram que a Justiça ordenou o despejo do latifúndio e que tentarão chegar a um acordo com os invasores para que a desocupem pacificamente. Segundo o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, a insistência do MST em permanecer na fazenda e a possibilidade de um conflito, já antecipado por alguns enfrentamentos, não afeta os trabalhos na conferência, convocada pela FAO em Porto Alegre. “Essa resistência não é comprometedora para o Brasil nesta conferência. Faz parte da realidade brasileira”, afirmou Rossetto em entrevista coletiva concedida ontem. Conferência A reunião da primeira conferência sobre reforma agrária organizada pela FAO conta com delegações de 81 países. Serão discutidas políticas de distribuição da terra no mundo todo com vista ao compromisso assumido em 2000 pelos países da ONU de reduzir pela metade, para 2015, o número de pessoas abaixo da linha de pobreza extrema e que passam fome. Segundo cálculos das Nações Unidas, aproximadamente 900 milhões de pessoas (três quartos da população mundial pobre) vivem em áreas rurais e dependem do acesso à terra para subsistir. A invasão da fazenda Guerra é a maior ocupação promovida pela organização nos últimos cinco anos no Rio Grande do Sul. Segundo o MST, desde que Lula assumiu o cargo apenas 220 famílias receberam terras no Rio Grande do Sul. ### Mulheres invadem Incra em Goiânia | Adriana Chaves Folhapress São Paulo - Cerca de 500 integrantes do MST (Movimento do Trabalhador Rural Sem Terra) - a maioria mulheres - invadiram o terreno que abriga a superintendência do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) em Goiânia ontem. Segundo a Polícia Militar, são 120 invasores. Os sem-terra não chegaram a entrar no prédio, mas montaram barracas no pátio e no estacionamento, além de impedirem a entrada dos funcionários. A ação visa chamar a atenção para a luta das mulheres, devido à proximidade ao Dia Internacional da Mulher, e antecipa a jornada nacional. Segundo José dos Santos, um dos líderes do MST em Goiás, ocorreram outras duas invasões no estado. No sábado, 400 famílias invadiram uma propriedade em Crixás; ontem, cem famílias fizeram uma invasão em Faina. Santos diz que as ações cobram as promessas feitas pelo Incra. “A meta do Incra para 2005 era de assentar 1.100 famílias no estado, mas só concluíram os processos de 400.” A pauta de reivindicações do MST trata ainda de questões defendidas pela coordenação nacional do movimento, como a busca por créditos e de melhorias na infra-estrutura dos assentamentos, além do cumprimento do Plano Nacional de Reforma Agrária. O superintendente do Incra em Goiás, Ailtamar Carlos da Silva, disse que ainda não recebeu nenhuma reivindicação oficial do MST. Ele está em Porto Alegre, onde participa da Conferência da FAO, e afirmou que não tomaria nenhuma providência até ter acesso às reclamações. Elogios O presidente interino da República, José Alencar, foi elogiado pelo líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, João Pedro Stedile, devido à sua “postura contra o neoliberalismo”. Durante a abertura da conferência, Alencar recebeu de Stedile uma bandeira da Via Campesina (movimento internacional que engloba entidades como o MST) e um pedido: que atualize os critérios de definição dos índices de produtividade para assentamentos em eventuais latifúndios.

Mais matérias
desta edição