app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Nacional

Absolvi��o de Brant � tida como certa

| Rose Ane Silveira Folhapress Brasília - O plenário da Câmara dos Deputados vota hoje dois processos de cassação de mandato de parlamentares envolvidos no suposto esquema do mensalão. Serão analisados os processos contra os deputados Roberto Brant (PFL

Por | Edição do dia 08/03/2006 - Matéria atualizada em 08/03/2006 às 00h00

| Rose Ane Silveira Folhapress Brasília - O plenário da Câmara dos Deputados vota hoje dois processos de cassação de mandato de parlamentares envolvidos no suposto esquema do mensalão. Serão analisados os processos contra os deputados Roberto Brant (PFL-MG) e Professor Luizinho (PT-SP). Nos bastidores do Congresso o clima é tenso. A expectativa é de que o acusado no primeiro processo a entrar em pauta, deputado Roberto Brant (PFL-MG) seja absolvido. O prognóstico não é tão positivo para o segundo caso, que envolve o ex-líder do governo na Câmara, deputado Professor Luizinho (PT-SP). “Eu acho que os dois serão absolvidos. O Brant pela sua história. Ele conta com o total apoio do seu partido, 90% do apoio das bancadas do PSDB e do PMDB”, disse o deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (PFL-BA). Ele não explicou porque acredita que Luizinho também será absolvido. A maioria dos integrantes do Conselho de Ética também acredita que Brant será inocentado, mas as apostas na absolvição de Luizinho não estão fechadas. Na votação no Conselho o deputado mineiro teve a aprovação da cassação do seu mandato por oito votos a sete. O presidente do colegiado, deputado Ricardo Izar (PTB-SP), foi obrigado a dar o “voto de minerva” a favor da cassação de Brant. No caso de Luizinho a votação foi mais folgada. O deputado petista teve a cassação do seu mandato aprovada por nove votos a cinco. O deputado Cezar Schirmer (PMDB-RS), que integra o Conselho de Ética, reconhece a tendência do plenário em absolver Roberto Brant e se diz preocupado com a possibilidade de resultados diferentes para os dois processos. “Seria o pior dos mundos absolver um e condenar o outro. Nós sabemos que cada caso é um caso, mas a opinião pública não vê assim. A fonte do dinheiro (valerioduto) é a mesma. Os dois têm casos iguais. O melhor seria que os dois fossem absolvidos juntos ou condenados”, afirmou o deputado gaúcho. A expectativa da liderança do PFL é de que o pedido de cassação do mandato de Brant seja rejeitado por uma vantagem de votos bem superior à necessária. No caso do deputado professor Luizinho nem mesmo a liderança do seu partido quer arriscar um prognóstico.

Mais matérias
desta edição