app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Nacional

Procurador denuncia 40 pessoas ao STF

| Folhapress Brasília O procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, apresentou para o Supremo Tribunal Federal (STF) uma denúncia contra 40 pessoas envolvidas no chamado esquema do mensalão. Entre os denunciados estão os ex-ministros José Dir

Por | Edição do dia 12/04/2006 - Matéria atualizada em 12/04/2006 às 00h00

| Folhapress Brasília O procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, apresentou para o Supremo Tribunal Federal (STF) uma denúncia contra 40 pessoas envolvidas no chamado esquema do mensalão. Entre os denunciados estão os ex-ministros José Dirceu e Luiz Gushiken, além do ex-presidente do PT José Genoino, do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, do ex-secretário-geral do PT Silvio Pereira, do empresário Marcos Valério, do publicitário Duda Mendonça e sua sócia Zilmar Fernandes, bem como dirigentes do Banco Rural. Na denúncia, eles são acusados pela Procuradoria-Geral da República de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, evasão ilegal de divisas, corrupção ativa e passiva e peculato. De acordo com a investigação do procurador-geral, o esquema do mensalão era uma organização criminosa dividida em três núcleos: o político-partidário, o publicitário e o financeiro. A denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) foi feita ao STF no dia 30 de março, mas só foi revelada ontem. O presidente da CPI dos Correios, senador Delcidio Amaral (PT-MS), e o relator, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), entregaram ontem o relatório da comissão ao Ministério Público, ao Tribunal de Contas da União e à Polícia Federal. A PGR também apresentou denúncia contra os parlamentares acusados de envolvimento com o valerioduto, como João Paulo Cunha (PT-SP), José Janene (PP-PR), Pedro Henry (PP-MT), José Borba (PMDB-PR), Professor Luizinho (PT-SP), entre outros. O núcleo político-partidário pretendia garantir a permanência do PT no poder com a compra de suporte político de outros partidos e com o financiamento irregular de campanhas. Esse núcleo seria responsável por repassar as diretrizes de atuação para os outros dois núcleos. ### Palocci será indiciado em Ribeirão Preto | Fausto Salvadori Filho Folhapress O delegado seccional de Ribeirão Preto (SP), Benedito Antonio Valencise, pretende ouvir o ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda) depois da Semana Santa. Após o depoimento, Palocci deve ser indiciado pelos crimes de peculato (funcionário público que se apropria de dinheiro em função do cargo que ocupa ou de bem público), falsidade ideológica e formação de quadrilha. O delegado preside o inquérito que apura existência de um suposto esquema de corrupção envolvendo Palocci e as empresas de varrição contratadas quando Palocci era prefeito de Ribeirão. Valencise disse que entrou em contato com os advogados de Palocci e combinou de ligar no início da semana que vem para combinar a data do depoimento. ### Cinco membros do Conselho renunciam | Denise Madueño Estadão Online Brasília - Cinco titulares do Conselho de Ética entregaram, ontem, pessoalmente, ao presidente da Câmara, deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP), carta em que se desligam do colegiado. Também foi entregue por eles ofício de desligamento do deputado Cezar Schirmer, suplente do conselho. Na carta em que se desligam, os deputados Orlando Fantazzini (P-sol-SP), Chico Alencar (P-sol-RJ), Júlio Delgado (PSB-MG) e Carlos Sampaio (PSDB-SP) - Benedito de Lira (PP-AL) também se desligou, mas não assinou a carta - pedem que Rebelo coloque em votação a proposta de emenda constitucional que acaba com o voto secreto no Parlamento. Também o projeto, em fase de elaboração, que amplia as prerrogativas do Conselho de Ética para possibilitar que o colegiado quebre sigilos de deputados investigados e tenha poder para convocar depoimentos é outra exigência. “A reforma do regimento do Conselho e o voto aberto no plenário acabam com a pizza, o acórdão e qualquer forma espúria para o julgamento dos deputados”, afirmou Fantazzini. ///

Mais matérias
desta edição