app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5717
Opinião

A primavera da vida

MILTON HÊNIO * Exatamente hoje é o início da primavera. A natureza sofre profundas transformações, revestindo-se de uma beleza inigualável. Nessa época há uma verdadeira renovação na árvores, nos campos, nas flores, no clima, nos pássaros que em revoad

Por | Edição do dia 22/09/2002 - Matéria atualizada em 22/09/2002 às 00h00

MILTON HÊNIO * Exatamente hoje é o início da primavera. A natureza sofre profundas transformações, revestindo-se de uma beleza inigualável. Nessa época há uma verdadeira renovação na árvores, nos campos, nas flores, no clima, nos pássaros que em revoada voam em bandos alegremente buscando outras plagas. Assim é também a vida; há uma necessidade constante de renovação num mundo cheio de conflitos e confrontos. A primavera nos dá a idéia de esperança, de alegria, de felicidade. Contrastando com os homens, a natureza nos oferece o exemplo de vida associativa, rica em pureza. Coincidentemente, comemora-se também hoje o Dia da Juventude. A vida do jovem é uma bela primavera. É a fase dos sonhos, dos projetos de vida, dos romances inesquecíveis, de esperança como a primavera. “Não percam a esperança nunca”, sempre com otimismo dizemos aos jovens. Entretanto, é preciso que eles saibam que o amanhã é preparado hoje. E se hoje eles não se valorizam, não acreditam em nada, o amanhã pode ser pior. É necessário que os pais, os políticos, os professores ajudem a eles com mensagens de otimismo e exemplos de amor. Sim, porque sem fé não haverá esperança. E sem esperança não se pode viver. Aproveito o momento para oferecer a minha querida neta Larissa o meu beijo, cheio de esperança em seu futuro. É que ela completou ontem 15 primaveras. Que no caminho da vida ela encontre sempre flores e nunca espinhos e com fé em Deus saiba enfrentar os obstáculos com alegria no coração, saiba valorizar as pequenas coisas. Que ela seja sempre muito feliz. Os filhos são primavera dos pais. São a esperança que floresce, o futuro que se abre sem parar. O importante é nós adultos, darmos aos jovens o exemplo de uma nova cultura em um mundo moderno, que fale de solidariedade e de paz, que vá se difundindo cada vez mais entre todos eles e que eles se conscientizem do valor que têm e que possam ser construtores de um mundo do qual podem orgulhar-se de pertencer. Estamos bem próximo das eleições. A data também foi muito bem escolhida. Como na natureza há necessidade de renovação. O político tem de batalhar pelo bem comum e não visar só os seus interesses pessoais. Como na natureza eles têm que ser organizados. Temos com urgência de repensar o nosso Brasil. E o pior é que não existe outra fórmula a não ser com a participação do povo no processo eleitoral, escolhendo os melhores. A mudança de cultura política do Brasil deverá durar ainda muito tempo, mas já começamos a notar que os primeiros passos estão sendo dados. Mudar o que está errado na política é tarefa de todos. Já disse e repito que a política não é suja. Ela está assim pelo reflexo das contradições da sociedade, onde o bem e o mal, o joio e o trigo estão misturados. Vamos repensar o Brasil. Só mudaremos quando os políticos pensarem grande, quando firmarem um pacto com os seus eleitores, pacto de credibilidade, sabendo que a política é a promotora do bem comum e com ética é uma das mais elevadas atividades humanas. Milhões de excluídos querem “redescobrir” o Brasil, entoando o canto da esperança em seus vilarejos, em seus barracos, em seus sítios, nas cidades, esperando viver uma vida pródiga, dependendo da boa vontade dos políticos que nos governam. (*) É MÉDICO

Mais matérias
desta edição