app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Opinião

Pequenas a��es

VINÍCIUS MAIA NOBRE * Após meu “recesso eleitoral”, portanto sem qualquer tentativa de influenciar os órgãos responsáveis, determinadas ações que face aos seus custos bem que poderiam ser viabilizadas. Quem transita pelo Centro próximo ao edifício do Tr

Por | Edição do dia 25/10/2002 - Matéria atualizada em 25/10/2002 às 00h00

VINÍCIUS MAIA NOBRE * Após meu “recesso eleitoral”, portanto sem qualquer tentativa de influenciar os órgãos responsáveis, determinadas ações que face aos seus custos bem que poderiam ser viabilizadas. Quem transita pelo Centro próximo ao edifício do Tribunal Regional do Trabalho, antigo “Luxor Hotel”, se depara com uma rua que liga a praia da Avenida à Rua Zacarias de Azevedo, com sua pavimentação interrompida. No trecho frente à entrada do Tribunal, a pavimentação em blocos hexagonais de concreto está com bom estado de conservação, denotando a boa execução e escolha do tipo, o qual, tendo em vista sua forma, trava e estabiliza todo o conjunto. Logo adiante entramos na buraqueira de um trecho da mesma rua em revestimento primário, coisas que só acontecem em Maceió! Fazem mais de vinte e dois anos que na administração do prefeito Dilton Simões foi executado o trecho pavimentado e seus sucessores não enxergaram que além dessa rua existem outras vias importantes na mesma região, bem perto da Secretaria Municipal de Finanças servindo como, por exemplo, a sede do Clube dos Dirigentes Lojistas, estabelecimentos comerciais, residenciais, pousadas, postos de combustíveis e repartições públicas. O observador que circular pela nossa “Cidade Sorriso” sairá triste com muitas regiões em situação idêntica a enfocada. No Farol é que não falta. Basta passar pela Rua Luiz Rizzo de “cabo a rabo” e encontrará seu trecho inicial como também o final pavimentado, embora com tipos diferentes. Um longo trecho intermediário faz o sofrimento de todos que lá têm necessidade de percorrê-lo, parecendo-nos que não tem “nem pai nem mãe” ou mesmo padrinho forte, pois sai ano e entra ano na mesma triste situação. Ultimamente, alguns buracos das nossas ruas vêm dando trégua à Prefeitura. Enquanto isso foram iniciados serviços de pequeno vulto em vários bairros da cidade, mas muito necessários. Só tenho a elogiar e sugerir que, além dessas pequenas ações tão bem vistas pela população que a tudo agradece, a execução das pavimentações das vias aqui citadas. Declaro alto e em bom som, que não possuo nenhum imóvel em suas imediações, não sendo, portanto, um beneficiário direto. Outro problema que vem causando sérias conseqüências por se tratar de acidentes com vítimas são aqueles gerados no trânsito de motocicletas. Não sei estatisticamente, mas leio pelos jornais e observo que vem aumentando diariamente o número de envolvidos. Tenho a impressão que está faltando campanhas  educativas bem dirigidas a todos  quanto ao perigo em avançar em ruas congestionadas, “costurando” ora a esquerda ora a  direita, procurando passar  pelos exíguos  espaços deixados pelos carros. No afã de ganhar o pão de cada dia, os coitados conhecidos por “motoboys” se arriscam muito e são em geral os mais prejudicados. Todas as pequenas ações aqui analisadas não invalidam que continuemos a perseguir os macro desafios de nossa Maceió, quais sejam, crescimento da rede coletora de esgotos, saneamento do Vale do Reginaldo e, conseqüentemente, a despoluição do Salgadinho, trânsito na Fernandes Lima, viabilização do interceptor lagunar no trecho Bebedouro-Brejal, conclusão do Sistema Pratagy, são os mais prioritários para a nossa infra-estrutura básica. Interessa a todos habitantes de nossa Capital e execução dessas obras para um desenvolvimento sadio e melhor qualidade de vida. (*) É ENGENHEIRO E-MAIL: [email protected]

Mais matérias
desta edição