app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5714
Opinião

Voto e esperan�a

A nação, através de cada um dos cidadãos aptos a votar, participa hoje da última rodada das primeiras eleições do século, para a escolha definitiva do novo presidente da República. São cerca de 115 milhões de pessoas que estarão refletindo e decidindo pel

Por | Edição do dia 27/10/2002 - Matéria atualizada em 27/10/2002 às 00h00

A nação, através de cada um dos cidadãos aptos a votar, participa hoje da última rodada das primeiras eleições do século, para a escolha definitiva do novo presidente da República. São cerca de 115 milhões de pessoas que estarão refletindo e decidindo pelo futuro de todos nós. Também neste 27 de outubro, em 14 Estados, mais de 60 milhões de eleitores não somente irão às urnas com essa responsabilidade, mas também com o dever e a obrigação de decidir quem será o governador pelos próximos quatro anos. É o povo brasileiro vivendo novamente seus momentos mais importantes e decisivos. Naturalmente, com a esperança renovada. Crente que, ao exercer o direito de escolher o candidato de sua preferência, pelo voto universal e secreto, estará também contribuindo para o aperfeiçoamento da democracia e a construção de um Brasil livre das causas e efeitos das desigualdades sociais. Cada vez mais próspero. Com paz e progresso. Seja ele quem for, o nome que será consagrado logo mais para assumir a Presidência da República terá que ser realmente o governante dos cidadãos mais ricos, dos mais influentes, politicamente, e dos mais humildes. Terá que se preocupar mais com a nossa soberania. Agir decisivamente no combate a todas as formas de violência e de negação aos direitos coletivos e individuais. Em benefício das crianças, jovens e adultos de todas as classes. Este domingo tem que ficar na história como o dia do início de um novo tempo real no Brasil. Basta que os eleitos de agora se empenhem, efetivamente, na execução de programas destinados à eliminação das terríveis desigualdades sociais. Atendam aos apelos feitos pelos diversos segmentos da sociedade, nas ruas e nos recintos fechados, nas mais recentes campanhas eleitorais. E em tantas outras ocasiões. Atuem, com seus mandatos dispostos a apressar retomada dodesenvolvimento do País e dos respectivos Estados nas diversas áreas. Há a necessidade urgente de aprimorarmos as conquistas e os avanços consideráveis registrados nas últimas décadas. Principal ente com a vigência da atual Constituição. Porém, ainda insuficientes para livrar grande parte do território nacional, como as regiões Norte e Nordeste, dos danos causados pelo tratamento desigual praticado pelo poder central e evitar o crescimento da miséria, da pobreza, da fome e do desemprego.

Mais matérias
desta edição