app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Opinião

TRAG�DIAS PODEM SER EVITADAS

A segunda maior tragédia envolvendo incêndio em nosso país com vítimas fatais chocou e comoveu o mundo. Já morei em Santa Maria. Parte da minha formação aconteceu lá. Sei a localização de onde em poucos minutos a alegria e o divertimento deram lugar ao ca

Por | Edição do dia 31/01/2013 - Matéria atualizada em 31/01/2013 às 00h00

A segunda maior tragédia envolvendo incêndio em nosso país com vítimas fatais chocou e comoveu o mundo. Já morei em Santa Maria. Parte da minha formação aconteceu lá. Sei a localização de onde em poucos minutos a alegria e o divertimento deram lugar ao caos e desespero no interior da Boate Kiss. A Kiss foi como um beijo traidor, roubado, que sufocou filhos e amigos de mais de 230 famílias. Dezenas de pessoas se amontoaram nos banheiros na esperança de se salvar ou encontrar a saída. Tento imaginar o horror que os bombeiros presenciaram, de pessoas mortas, amontoadas, encurraladas e sem esperanças. Lembrei das palavras do Apóstolo Paulo, em Romanos capítulo 8, falando da tragédia do pecado e a consequente caminhada para a morte que todos estamos propensos: “estamos em perigo de morte o dia inteiro; somos tratados como ovelhas que vão para o matadouro” (verso 31). Ovelhas quando vão para o matadouro não sabem e não se dão conta do que está se passando e quando percebem o perigo não conseguem mais fugir da situação mortífera. Só há uma saída de emergência, e parece que nem ela seja suficiente! Seja de forma trágica ou natural, a morte de alguém sempre é um drama, mas quando ocorre em proporções como foi a deste incêndio choca muito mais. Toda tragédia poderia ser evitada. A questão é que dependemos de uma cadeia de pessoas e circunstâncias, e, por mais que busquemos a perfeição, em algum momento, o pecado nos encurrala, a fumaça preta denuncia o fogo que consome. Mesmo que se descubra as causas do incêndio, agora é hora de juntar o que sobrou. Onde falta prevenção, necessita-se de reconstrução. Encontro-me na mesma situação de Paulo:“Diante de tudo isso, o que mais podemos dizer? Se Deus está do nosso lado, quem poderá nos vencer? Ninguém![...] Pois eu tenho certeza de que nada pode nos separar do amor de Deus: nem a morte, nem a vida” (Romanos 8.31,38). A única e necessária porta de esperança continua sendo aquela afirmada por Jesus: “em verdade vos digo: eu sou a porta das ovelhas” (João 10.7). Feliz de quem encontrou a porta, não para sair da boate, mas para morrer em paz. “Eu sou a ressurreição e vida. Quem crê em mim, ainda que morra viverá; e quem vive e crê em mim nunca morrerᔠ(João 11.25). Que Deus enxugue as lágrimas de todos os que choram (Apocalipse 7.17) e assim possamos evitar tragédias maiores!

Mais matérias
desta edição