app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Opinião

NADA H� DE NOVO DEBAIXO DO SOL

A ameaça da Coreia do Norte contra os EUA remota a humanidade a uma triste lembrança: o ataque à base norte-americana de Pearl Harbor, efetuada pela Marinha Imperial japonesa na manhã de 7 de dezembro de 1941, ataque que marcou a entrada dos EUA na Se

Por | Edição do dia 27/03/2013 - Matéria atualizada em 27/03/2013 às 00h00

A ameaça da Coreia do Norte contra os EUA remota a humanidade a uma triste lembrança: o ataque à base norte-americana de Pearl Harbor, efetuada pela Marinha Imperial japonesa na manhã de 7 de dezembro de 1941, ataque que marcou a entrada dos EUA na Segunda Guerra. Esse episódio traçou o destino cruel para os japoneses, que tiveram sob seu território, nas cidades de Hiroshima e Nagasaki, o primeiro ataque nuclear da história. O Japão, depois do ataque, passa por um grande período de miséria, transformando-se na década de 90 como segunda potência econômica mundial. Infelizmente, a transformação em cinzas, que ocorreu no Japão em 1941, poderá se repetir contra a Coreia do Norte, caso insista com suas bravatas, ou não, afirmando que tem mísseis nucleares apontados para os EUA. No período da Guerra Fria, os EUA e a URSS, para evitar um confronto direto, alimentaram conflitos em outros países como, por exemplo, na Coreia e no Vietnã. É bem verdade que a história se repete, quando se trata de manipulação do maior pelo menor; “nada há de novo debaixo do sol”, dizia em seu texto as sapienciais palavras do pregador Eclesiastes. Infelizmente, para o mundo, nesse jogo internacional, como num jogo de xadrez, as grandes potências usam os países pequenos como peão, a fim de demonstrarem seu poderio ao seu destinatário real. O que se lamenta é que, em pleno século 21, a diplomacia pode perder, até porque a Coreia do Norte anulou o acordo de não agressão à Coreia do sul, causando pânico na Ásia, e de pânico entendem bem os norte-americanos, que por conta da quebra daquele acordo pode fazer um ataque nuclear contra a Coreia do Norte, por legítima defesa, caso esta acidentalmente acenda um palito de fósforo para acender uma fogueira, e os EUA presumam ser isso um gesto de um ataque nuclear, e o simples acender de um palito de fósforo poderá ser o estopim para uma guerra de maiores proporções.

Mais matérias
desta edição