app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Opinião

ACRESCENTAR VIDA AOS DIAS QUE PASSAM

Dentro de algum tempo, o momento presente será história, será passado. Costumo dizer que no século 20 a história humana avançou e recuou, trouxe avanços consideráveis e destruiu parcela ponderável de populações, através de guerras, guerrilhas e destruiçõe

Por | Edição do dia 17/04/2013 - Matéria atualizada em 17/04/2013 às 00h00

Dentro de algum tempo, o momento presente será história, será passado. Costumo dizer que no século 20 a história humana avançou e recuou, trouxe avanços consideráveis e destruiu parcela ponderável de populações, através de guerras, guerrilhas e destruições. Entretanto, a evolução da ciência e da pesquisa, multiplicada sob mil formas, alcançou índices inesperados nos últimos 50 anos, destacando novas tendências e aprofundando temas até então mantidos na superficialidade. O campo cerebral, circuitos neurológicos, hemisférios situados ora à direita, ora na esquerda da massa encefálica, têm sido pesquisados à saciedade trazendo luz e respostas às questões levantadas durante séculos. Numa reunião da Academia Alagoana de Letras, o médico, escritor, poeta e mago no desempenho da Pediatria, Milton Hênio Gouveia, fez uma palestra sobre o andamento de pesquisas descritas no livro da dra. Eloisa Giola. Nessa visão descrita sobre o hemisfério esquerdo do cérebro, nele estariam alojados os núcleos que orientam o “fazer”. Nossa sociedade ocidental honra e recompensa as habilidades de fazer do lado esquerdo do cérebro, muito mais do que as habilidades de “ser” do hemisfério direito. É necessário desacelerar o cérebro esquerdo e seu processo de fazer, bem como estimular o desenvolvimento do cérebro direito e seu processo de ser. Graças a essas recentes descobertas científicas sabemos que o sentimento de paz, de tranquilidade, de harmonia, de bem-estar psicológico, alegria encontram-se localizados em núcleo do circuito direito do cérebro, que está sempre ativo e disponível no aqui e agora. Os resultados divulgados são apenas iniciais, mas se confirmados teremos de aconselhar: aproveite melhor o que lhe proporciona seu cérebro direito. Ligue-se a ele. Se acertarmos na escolha da opção profissional, se formos felizes no desempenho da profissão que abraçamos – pois passamos boa parte do nosso tempo útil no trabalho –, ganharemos aí uma das chaves de uma longevidade saudável e um bom canal com o hemisfério cerebral direito, que é o lócus do bem-estar. Repete-se: é necessário ensinar o homem a investir bem suas horas de lazer, dedicando-as a usufruir civilizadamente as várias modalidades de criação de tudo que lhe causa prazer. Esse assunto levei à reunião de amigos que habitualmente fazemos nos fins de semana e a temática interessou a todos. Cultivar o hemisfério direito do cérebro foi o tema. Férias, aposentadoria, viagens, dia a dia prazerosos. E a melhor definição ouvida foi a do companheiro Porfírio, sempre autossuficiente: “Mais necessário do que acrescentar dias à vida, é necessário acrescentar vida aos dias”.

Mais matérias
desta edição