app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Opinião

Dia do R�dio Amador

LINDEMBERG FERNANDO DE ALMEIDA * Desde 1909, os radioamadores já se faziam presentes no Brasil, operando em transmissores construídos por ele próprios ou por algum técnico em eletrônica mais afeito ao assunto. Já com um grande número de aficcionados,

Por | Edição do dia 08/11/2002 - Matéria atualizada em 08/11/2002 às 00h00

LINDEMBERG FERNANDO DE ALMEIDA * Desde 1909, os radioamadores já se faziam presentes no Brasil, operando em transmissores construídos por ele próprios ou por algum técnico em eletrônica mais afeito ao assunto. Já com um grande número de aficcionados, o radioamadorismo foi se espalhando por todos os estados. A operação era bastante precária, geralmente na faixa de 80 metros, em AM (amplitude modulada). Havia a necessidade de um transmissor e um receptor para a escuta das estações com quem se mantinha contato. Geralmente usava-se um receptor profissional, porém os menos abastados usavam, também, um rádio comum com um conversor que, conectado a um rádio qualquer, servia para receber as diversas estações em operação. Tudo era muito precário e difícil, exceto para aqueles que podiam importar um transmissor e receptor. O radioamadorismo foi crescendo de tal maneira no Brasil, ao tempo em que foram surgindo novas técnicas e se expandindo as quantidades de freqüências utilizadas. Todos começaram a sentir a necessidade de um órgão coordenador da classe que fiscalizasse e assistisse a todos. Em 1º de fevereiro de 1931, um grupo de radioamadores paulistas reuniu-se e, depois de muitas opiniões e sugestões, foi fundada a Liga de Amadores Brasileiros da Radioemissão (Labre). A nova entidade começou a prosperar e produzir os frutos esperados por todos. Mas, como não era somente em São Paulo que existiam radioamadores, os cariocas também criaram um movimento para fundar o seu órgão de classe, dando os primeiros passos para a criação de sua entidade, que desejavam independente da dos paulistas. No dia 13 de fevereiro de 1933, os cariocas reuniram-se numa assembléia muito concorrida, culminando com a aprovação unânime da fundação da entidade carioca, que ficou denominada de RBR – Rede Brasileira de radioamadores. Estavam funcionando no Brasil duas entidades criadas e orientadas para o mesmo fim. Começaram a surgir comentários a respeito do fato. Alguns eram favoráveis à fusão e outros defendendo a existência das duas associações. Finalmente, em 2 de fevereiro de 1934, foi realizada uma grande assembléia, cuja conclusão foi a de que não deveria existir duas entidades para o mesmo fim, concluindo que deveria haver a unificação, com os cariocas aceitando a Labre fundada pelos paulistas. Em 22 de outubro de 1934, teve lugar a grande assembléia referenciando a unificação e desde esse dia todos se confraternizaram com o mesmo ideal e pensamento. Até o ano de 1968, o Dia do Radioamador era festejado em 22 de outubro, em comemoração ao dia da unificação das duas entidades. No entanto, após meticuloso trabalho de pesquisa realizado pelo Radioamador PY2AJO – João Ramos Bacaratt, um dos fundadores da Labre paulista, esse dia foi mudado pela direção da Labre Central. João Ramos Bacaratt apresentou um detalhado relatório da sua pesquisa ao Conselho Federal da Labre, reunido em outubro de 1968, na cidade de Curitiba, merecendo elogio de todos e, após estudo, aquele Conselho fixou o dia 5 de novembro como sendo o Dia do Radioamador Brasileiro. A fixação desse dia foi em razão que naquela data, no ano de 1924, foi publicado, no Diário Oficial da União, sob o nº 16.657, o Decreto que regulamentava as estações de Radioamadores existentes no Brasil, até então clandestinas. O referido Decreto foi baixado, tendo em vista a representação feita no ano de 1923, pela Academia Brasileira de Ciências, reconhecendo a existência do radioamadorismo no Brasil. Nos últimos cinco anos, a Labre passou por uma série de transformações. Todas as Diretorias Estaduais passaram a ser autônomas, gerindo o seu próprio patrimônio, porém agregadas à Labre Central, em Brasília. Foi conservado o seu pioneiro nome de fantasia Labre, porém, a sua razão social ao invés de Liga de Amadores Brasileiros de Radioemissão, passou a ser Liga Brasileira de Radioamadores e, posteriormente, Confederação Brasileira de Radioamadores, e suas Diretorias Estaduais, com autonomia, passou a ser Federação de Radioamadorismo, recebendo o nome de cada Estado. Em nosso caso, passou a ser Federação Alagoana de Radioamadorismo – Labre-AL. Hoje, comemora-se em todo o Brasil o Dia do Radioamador. Em virtude da transição da Diretoria atual, no próximo dia 9 (sábado), quando haverá eleições para chegar a nova Diretoria, não foi programada nenhuma festividade. Porém, a partir do dia 15 de novembro, Dia da Proclamação da República, irá ao ar todas as noites, o Concurso “Terra dos Marechais”, criado há 40 anos pelo saudoso colega Francisco Alves Mata – PP7IY.

Mais matérias
desta edição