app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5729
Opinião

Inf�ncia violada

Dados do Disque 100, serviço gratuito de denúncia por telefone do governo federal, traz números chocantes. A cada hora, quase três denúncias de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes foram registradas no País ao longo de 2014 pelo Disque 100

Por | Edição do dia 19/05/2015 - Matéria atualizada em 19/05/2015 às 00h00

Dados do Disque 100, serviço gratuito de denúncia por telefone do governo federal, traz números chocantes. A cada hora, quase três denúncias de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes foram registradas no País ao longo de 2014 pelo Disque 100. Foram 24.575 queixas desses crimes recebidas pelo serviço de denúncia, sendo 19.165 referentes a abuso sexual e 5.410 de exploração sexual. Foi uma média de 67 notificações por dia, segundo dados fornecidos pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), ocorrem no Brasil, por ano, cerca de 100 mil casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. O problema é que menos de 20% desses casos chegam ao conhecimento das autoridades, pois, na maioria das vezes, ocorrem no contexto da própria família. A violência sexual contra crianças e adolescentes, principalmente entre crianças até 9 anos de idade, é o segundo principal tipo de violência, ficando pouco atrás apenas para as notificações de negligência e abandono. Pesquisa feita pelo Ministério da Saúde mostra que, em 2011, foram registrados 14.625 notificações de violência doméstica, sexual, física e outras agressões contra crianças menores de dez anos. O abuso sexual ocorre quando a criança ou o adolescente é obrigado por um adulto a manter práticas sexuais, com ou sem contato físico. Já a exploração sexual é a relação sexual com criança ou adolescente que envolve o pagamento por meio de dinheiro ou benefícios. O combate à exploração sexual de crianças e adolescentes passa, antes de tudo, pela necessidade de reconhecimento do problema. Tradicionalmente, desde a aprovação da Lei 9.970/2000, que instituiu o dia 18 de maio como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Criança e Adolescente, são realizadas ações de mobilização. A melhor forma de tratar do problema da violência contra as crianças é impedir que aconteça. Nesse sentido, toda a sociedade deve estar envolvida nessa causa, mas cabe aos estados assumir sua responsabilidade. Isso significa proibir todas as formas de violência contra as crianças e investir em programas de prevenção para enfrentar as causas.

Mais matérias
desta edição