app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Opinião

Cristo no centro, conflito!?

Todos os dias, somos alvos ou provocadores de conflitos, em vez de procurarmos as soluções. O que é o conflito e quando este passou a fazer parte da humanidade? A Bíblia Sagrada, no livro de Gêneses, nos relata em suas páginas iniciais, especialmente no c

Por | Edição do dia 11/06/2015 - Matéria atualizada em 11/06/2015 às 00h00

Todos os dias, somos alvos ou provocadores de conflitos, em vez de procurarmos as soluções. O que é o conflito e quando este passou a fazer parte da humanidade? A Bíblia Sagrada, no livro de Gêneses, nos relata em suas páginas iniciais, especialmente no capítulo 3, que o conflito passou a fazer parte da vida humana quando este quebrou o relacionamento com o seu Criador e Mantenedor. Adão e Eva foram o pivô de provocar e trazer o conflito para toda a humanidade. O mais curioso é que eles não assumiram seu erro e a sua própria culpa, começaram a apontar que o culpado era o outro. Contudo, o conflito não ficou sem suas consequências, foram expulsos do harmonioso e pacificador lar, tendo que conviver com os conflitos, dentro da própria família, lar, trabalho e no relacionamento com os outros. Deus, o seu Criador, lhes deu uma promessa de solução desse conflito, a qual causaria sofrimento, dor e morte ao seu próprio filho, Jesus Cristo, ao dizer “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar (3.15)”. A partir desse momento, Cristo no centro passou a ser a única solução dos conflitos de toda a humanidade. Contudo, muitos infelizmente não veem nem creem nele como solução, mas motivo de conflitos. O Evangelho de Marcos, capítulo 3, versículos 20-36, nos mostra Cristo enfrentando conflitos dentre os próprios familiares; no trabalho, junto a seus discípulos; e dentre a própria sociedade e autoridades da época. Cristo no centro, conflito! Sim! Mas temos que tê-lo como solução e não como problema na vida. Como aconteceu referente aos entendidos da lei, Escribas e Fariseus, que acusaram o próprio Jesus de estar possuído de Belzebu, o maioral dos demônios, por libertar muitos do cativeiro de Satanás. Como dito pelo Evangelista Marcos, uma blasfêmia contra o Espírito Santo, que se tornou para estes um conflito que jamais poderá ser resolvido, pois perdura para sempre nos corações obstinados e descrentes tendo Cristo como conflito e problema. Nos dias atuais, não vemos muitas diferenças, muitos tomam Cristo para levantar conflitos, que mais separam do que unem; mais provoca do que edifica. E, infeliz daquele ou daquela que fora dos argumentos e bases bíblicas tomam da mesma para defender situações e comportamentos não aprovados pela veracidade das Sagradas Escrituras.

Mais matérias
desta edição