app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Opinião

ECCE HOMO

Os artigos que elaboramos visam transmitir assuntos diversos, mormente, os que mais interessam ao povo, sobretudo, aos leitores que nos honram com o precioso tempo em ler nossas opiniões sobre determinados fatos. Alagoas, nos últimos oito anos fora palco

Por | Edição do dia 15/07/2015 - Matéria atualizada em 15/07/2015 às 00h00

Os artigos que elaboramos visam transmitir assuntos diversos, mormente, os que mais interessam ao povo, sobretudo, aos leitores que nos honram com o precioso tempo em ler nossas opiniões sobre determinados fatos. Alagoas, nos últimos oito anos fora palco de consumação de delitos de toda natureza, chegado ao cume de ser considerado o estado mais violento do nosso país. Pela Defesa Social desfilou todo gênio versado em assuntos pertinentes à preservação da ordem pública. Todo esforço e recursos oriundos do programa, “Brasil Mais Seguro”, nada deu certo, pelo contrário, a cada momento a criminalidade naqueles dias, principalmente o narcotráfico inundava os rincões alagoanos. Porém, como tudo na vida tem inicio e fim, pouco a pouco já se pode sentir transformação no que diz respeito à vida da nossa gente e o direito de ir e vir, ainda com os óbices contumazes, mesmo assim, a população sente-se mais segura e confiante. Policia não foi criada para matar, nem muito menos para subestimar alguém. A versão popular que afirma bandido bom bandido morto não se coaduna com os princípios legais, nem tão pouco com os postulados apregoados pela filosofia dos órgãos da segurança pública. O confronto entre agentes da legalidade e os que maculam as leis é inevitável. É por isto que a legislação brasileira protege o policial dentro dos princípios que norteiam as excludentes. Urge que a polícia opere de maneira preventiva através do policiamento ostensivo, inibindo a ação dos delinquentes. Agir repressivamente, ou nos moldes do setor de inteligência são ferramentas necessárias. Há uma definição antiga sobre policia: “Termômetro que mede o grau de civilização de um povo”. A polícia civil é tão importante quanto a policia militar, enquanto a primeira, investiga e faz a policia judiciária; a segunda, missão primordial preservar a ordem pública de maneira preventiva e repressiva. Renan Filho, timoneiro à toda prova colocou na secretaria de Defesa Social um jovem que tem demonstrado responsabilidade e vocação para área que comanda. Alfredo Gaspar de Mendonça, membro do ministério público, mestre exímio do Direito com domínio das disciplinas cíveis e penais abdicou temporariamente das suas atividades profissionais e pedagógicas para comandar pessoalmente todas operações desencadeadas pelos órgãos que integram a pasta que dirige. É bom lembrar, que a população alagoana continue apoiando as ações benéficas do nosso secretário, que inclusive prestigia e defende os comandados no instante necessário. Alfredo Gaspar é sem sombra de dúvidas a resultante genética dos seus genitores e ancestrais. Parabéns Dr. Alfredo, que Deus lhe proteja nesta missão tão difícil e vulnerável.

Mais matérias
desta edição