app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5729
Opinião

Momentos dif�ceis, f� e esperan�a

O mundo vai caminhando e a cada dia são terríveis as notícias que surgem pela televisão e que nos entristecem. Tragédias pelo ódio no Oriente, assassinatos em todas as cidades brasileiras, principalmente no Rio e em São Paulo, onde a vida humana não vale

Por | Edição do dia 13/09/2015 - Matéria atualizada em 13/09/2015 às 00h00

O mundo vai caminhando e a cada dia são terríveis as notícias que surgem pela televisão e que nos entristecem. Tragédias pelo ódio no Oriente, assassinatos em todas as cidades brasileiras, principalmente no Rio e em São Paulo, onde a vida humana não vale nada para a bandidagem, o número assustador de jovens drogados e portadores de Aids no Brasil, a imensa incidência de câncer e doenças cardiovasculares entre nós. Pois bem, quando uma criança é agredida por um tumor no cérebro, leucemia, que morre em decorrência de um acidente de carro ou afogada, a mãe aflita pergunta sempre: “Por que Deus fez isso com meu filho”. É nesse momento que a fé e a esperança dominam o ser humano para que ele não enlouqueça. São Francisco de Assis em sua belíssima Oração pela paz, cita um trecho em que ele diz: “Onde houver desespero, que eu leve a esperança”. A esperança é tida não só como uma virtude mas como um princípio gerador de muitas virtudes. Quando perdemos a esperança ficamos enlouquecidos, desesperados. É o que esta está acontecendo agora com milhares de seres humanos que aos montes, como animais, buscam os países da Europa em busca da paz. Estão desesperados. Somente neste ano 2.600 pessoas morreram tentando chegar à Europa pelo mar. Há poucos dias foi encontrado um lindo garoto de 3 anos, morto e enrolado pelas ondas do mar em um praia da Turquia. Como o mundo vai mudando! Apesar de tantos desafios não podemos perder a esperança. Acabo de ler um interessante livro de um psiquiatra e psicanalista Augusto Cury, que passou mais de 20 anos estudando a personalidade de Jesus Cristo como homem. Não é de se admirar que ele ficou entusiasmadíssimo com sua personalidade, com o seu temperamento, com sua coragem, com sua tranquilidade, mesmo prevendo o seu fim injusto. E o brilhante colega conclui o seu livro dizendo essas encantadoras palavras: “Ele nos deu lições inesquecíveis da aurora ao ocaso de sua vida. Mostrou-nos que a vida é o maior espetáculo do mundo. Recorde que Jesus Cristo passou pelos mais dramáticos sofrimentos e humilhações como um ser humano igual a você e o superou com a mais alta dignidade. Seja apaixonado pela vida como ele foi. Nunca desista de você! Nunca desista dos outros. Ajude-os a corrigir as rotas de suas vidas”.

Mais matérias
desta edição