app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Opinião

Vestibular

ZUNARA LYRA * É chegada a hora. Tudo pronto, frio na barriga, coração bate acelerado, nó na garganta... Agora é tudo ou nada!!! Tudo deverá estar pronto. O que foi estudado deverá ter sido o suficiente. A consciência sai discursando e apontando vagarosam

Por | Edição do dia 07/03/2002 - Matéria atualizada em 07/03/2002 às 00h00

ZUNARA LYRA * É chegada a hora. Tudo pronto, frio na barriga, coração bate acelerado, nó na garganta... Agora é tudo ou nada!!! Tudo deverá estar pronto. O que foi estudado deverá ter sido o suficiente. A consciência sai discursando e apontando vagarosamente, onde poderia ter sido diferente, onde poderia ter-se investido com mais dedicação, o que ainda pode ser estudado... remorso do não estudado, do não ter levado a sério. Pensamentos... Pensamentos... inseguranças, medos, fantasmas, suores, insônia, angústia, ansiedade. Que nome dar a esta coisa assustadora que parece nos devorar? Creio que dar nomes neste instante, não mudará nada. É melhor que esta coisa fique sem nome, mas que de alguma forma possamos dominá-la. Milhares de jovens neste exato momento poderão estar sendo protagonistas desta cena, vivenciando mais um rito de passagem na busca de estabelecer-se numa vida adulta de “sucesso”. Milhares de famílias se transformam em aflitos espectadores da final espetacular de um árduo campeonato, onde fortes e fracos se misturam sem identificação. As imagens que sur-girão no placar é algo que desde já estremece a todos, pelo sim ou pelo não. Todos envoltos e inertes, nesta coisa da ansiedade, nesta de prever e antecipar o por vir, na maioria das vezes, prevendo o negativo, como uma legião de “Profetas da desgraça”. Neste estado de coisa, é esquecido o principal: viver o momento presente, o parar, o prosperar-se emocional e espiritualmente para dar suporte ao intelectual já tão sobrecarregado de informações, fórmulas, datas, códigos e nomes, além das intensas pressões internas e externas. Somos um ser integral, não somos só um monte de músculos e massa encefálica. Somos seres físicos, emocional, intelectual e espiritual, e, sendo assim, precisamos nos alimentar adequadamente em todos os nossos aspectos, em qualquer que sejam as circunstâncias de nossas vidas, caso contrário, continuaremos buscando desculpas e culpados para todos os nossos medos e fracassos. É chegada a hora de desacelerar o intelecto. É preciso neste instante buscar o equilíbrio, trabalhar a ansiedade, a expectativa, o nervosismo e o medo. O intelecto precisa ser integrado ao emocional e ao espiritual. O funcionamento equilibrado deste tripé fará a diferença no placar final. O que fazer? Que caminhos seguir para alcançar tal equilíbrio? A palavra de ordem é se harmonizar, se preparar para a “hora H”. Vários recursos terapêuticos estão à nossa disposição hoje. Preparando-se emocionalmente, você ficará bem na hora da prova e com certeza não correrá risco do “branco”, pânico e ansiedade – o caminho certo para “morrer na praia” – depois de tantas horas de estudos e dedicação. Lembrar-se da máxima força e proteção que temos – Deus – é de grande importância neste instante. Orar a Deus, pedindo o auxílio necessário no raciocínio, na memória, na atenção e cautela diante das questões. Pedir o equilíbrio emocional para se manter atento, é uma forma assertiva de enviarmos mensagens positivas para a nossa mente e acionar a autoconfiança e a força divina de auto superação que há em nós, principalmente se temos a consciência de que fizemos a nossa parte. Cada um de nós é uma possibilidade. Importante é ter em mente que há um objetivo agora a ser alcançado,, mas tão importante quanto ele, é mantermos a nossa jornada de buscas com paz de espírito, é sabermos para onde estamos indo. Estarmos atentos às evidências do caminho certo e presentes para levantarmos um brinde a todas as pequenas vitórias alcançadas. Viver intensamente o imenso prazer da grande chegada e gritar sonoramente Consegui! Tudo em nossas vidas acontece em uma divina ordem correta. Estamos torcendo e vibrando com toda a força para que tudo ocorra bem e dentro de um merecimento. (*) É PSICÓLOGA TRANSPESSOAL

Mais matérias
desta edição