Nº 4227
Opinião

Primeira infância: alicerce da liderança empreendedora

.

Por Antonio Pinaud. especialista em Gestão Estratégica pela Escola de Economia da FGV/RJ | Edição do dia 09/11/2019 - Matéria atualizada em 08/11/2019 às 22h16

A liderança se desenvolve a partir de competências socioemocionais. Esse processo não é iniciado na fase adulta, com a entrada do indivíduo no mercado de trabalho. Não, esse processo é muito anterior. Ele se inicia ainda na primeira infância.

Primeiro, é importante entender que as crianças nascem todas em condições semelhantes, mas é a primeira infância (gestação até os seis anos) que as diferencia para sempre. Na década de 1990, explodiram as pesquisas sobre os primeiros anos de vida. Allan Shore, pesquisador da Universidade da Califórnia, em 1994, afirmou que a “formação inicial para os sistemas vivos estabelece os condicionantes para o funcionamento de cada aspecto do organismo, seja interno ou externo, para toda a vida”. Portanto, é essa fase que influencia todo o desenvolvimento humano. Os primeiros mil dias representam o momento mais intenso de formação do cérebro, que é onde alicerçamos todas as competências e habilidades que o ser humano experimenta em sua vida. É neste momento que se inicia o processo de organização do cérebro e a definição das competências cognitivas. As vias cerebrais que afetam a capacidade de ler e escrever, o comportamento e a saúde se organizam muito cedo. Assim, como nos portamos frente a problemas e desafios é um padrão de comportamento que se estabeleceu e se organizou no início da vida devido a plasticidade e arquitetura cerebral. Os neurônios, por exemplo, são formados na segunda semana de gestação. Na vigésima segunda semana, já temos 100 bilhões deles. O neurônio funciona somente em rede; portanto, se ele não formar conexões, morre, o que chamamos de fenômeno da apoptose. As conexões são formadas por estímulos, que são um programa genético que interage com o meio ambiente. Estímulos no início da vida produzem mudanças nos caminhos genéticos que diferenciam a função neuronal. É o período mais crítico e sensível. O estímulo do ambiente afeta decisivamente a formação das conexões (sinapses) entre bilhões de neurônios, especialmente nos períodos mais sensíveis, que se abrem e fecham como uma janela. Sendo assim, investir na primeira infância é garantir o surgimento de novas gerações sem comprometimento cognitivo, psicossocial e afetivo, que terão a oportunidade de serem líderes empreendedores.

Mais matérias
desta edição