app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Opinião

Minha linda Maceió

.

Por MILTON HÊNIO. médico e membro do Conselho Estratégico da Organização Arnon de Mello | Edição do dia 01/08/2020 - Matéria atualizada em 31/07/2020 às 21h51

Esta terrível pandemia que nos obrigou a um isolamento de 4 meses, proporcionou-me durante esse tempo, o suficiente para eu sonhar acordado, lendo coisas do passado, fotos de momentos vividos da antiga Maceió, na Faculdade de Medicina e em outros locais. Eu gosto de recordar o passado. Ao completar um longo período de minha vida como médico, fico a meditar e comparar a Maceió querida dos meus tempos de criança, de adolescente, de estudante de medicina e jovem médico, com a Maceió de hoje, dinâmica, repleta de carros, turistas, motos, edifícios, gente nas praias e até violência nas ruas.

Maceió é realmente uma cidade encantadora. Aqui nasci, construí o meu mundo, a minha linda e unida família. Minha cidade vive nos meus sonhos e quero vê-la sempre progredindo. Tenho por Maceió um verdadeiro fascínio. E recordo com frequência a Maceió tranquila de minha juventude, com os seus bondes deslizando pelos trilhos e nos levando aos belos passeios; da minha ida ao Gogó da Ema, inesquecível coqueiro, com meus amigos, muitos dos quais ainda hoje convivo para minha alegria; tomar sorvete aos sábados e domingos na sorveteria Primavera e Xangai; participar das procissões da Padroeira (era obrigado a todos os estudantes) e depois visitar A Brasileira, uma das lojas mais bonitas que Maceió já teve. Maceió era uma família e todos se conheciam. Quando me formei em 1962, Maceió tinha somente 60 mil habitantes. Como estudante de medicina aprendi com os meus velhos e inesquecíveis mestres (Dr Ib Gatto Falcão, Dr. José Lages Filho, Dr. José Mário Mafra e tantos outros) a arte de curar, tendo paciência com a figura do indigente (naquele tempo não havia SUS) e procurando fazer por cada doente a transferência do nosso afeto. As pessoas do meu passado sucederam-se como sentinelas de uma guarda. Tudo se emaranha, as épocas, as pessoas, as nossas próprias reações. Trago comigo como um clarão que vem de dentro e irradia uma luz harmoniosa, a esperança acesa de ver minha cidade sempre bonita e ser para sempre feliz. Por isso esperamos contar sempre com bons prefeitos, que nos ofereçam muito progresso e embelezamento de nossa cidade. Rui Palmeira, que eu conheço desde criança, tem sido muito dinâmico. Vamos esperar que o próximo consiga realizar, com entusiasmo, seus objetivos de progresso para a nossa linda Maceió. Maceió, apenas 6 letras pequeninas / formando um conjunto precioso/ é o mais lindo pedaço do Nordeste/ minha terra, meu encanto, meu tesouro. Maceió, minha terra pequenina/ berço da minha infância descuidada/ és do Brasil a brasileira terra/ por mim eternamente decantada. Que seu povo seja sempre feliz. Tenha certeza que Maceió é um paraíso encantado, que sendo feito de flores foi por Deus abençoada. Suas belas praias e seu imenso coqueiral são imagens inesquecíveis para o turista que aqui chega e acha Maceió deslumbrante. Aproveito para parabenizar, a minha querida filha Fernanda, minha secretária atuante, por mais um ano de vida que hoje completa.

Mais matérias
desta edição