app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Opinião

Empreendedorismo feminino na economia

.

Por Claudia Peruzzato - coordenadora do Núcleo da Mulher Empreendedora da Associação Comercial de Porto Alegre | Edição do dia 23/11/2021 - Matéria atualizada em 22/11/2021 às 22h46

Não se tem certeza da origem do termo “empreendedorismo”, muito menos do chamado “empreendedorismo feminino”. O que se sabe é que o economista irlandês Richard Cantillon foi o primeiro a utilizar a palavra “entrepreneur”, da qual derivou o nosso conhecido “empreender”, para, apenas posteriormente, empregar-se o conceito específico à mulher.

Embora date de muito mais tempo, somente em 2014 que o 19 de novembro foi estabelecido como o Dia do Empreendedorismo Feminino pela Organização das Nações Unidas (ONU). Ocorre que as mulheres empreendem há muito tempo e com grande sucesso. Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), cerca de 9,3 milhões de mulheres estão à frente de uma empresa, onde 45% são chefes de família, gerando a principal renda no lar. As mulheres representam 52% da população brasileira e ocupam posição de liderança em 13% das 500 maiores empresas do País. Por conta disso, o movimento do empreendedorismo feminino tem resultado em fortes mudanças no mercado de trabalho, transformando sonhos em realidades e consolidando as diversidades. Mulheres são líderes por natureza, têm visão aguçada, determinação, ética e posturas positivas com relação ao dinheiro. São também colaborativas quando acreditam e entendem o propósito e o quanto é importante o movimento que realizam.

Atualmente, sou coordenadora do Núcleo da Mulher Empreendedora da ACPA (NuME), que reúne mulheres altamente competentes, determinadas, focadas e resolutivas. A cada dia aprendo a lidar com diversas lideranças, que vão se formando naturalmente. Nosso foco é fomentar negócios de forma associativista e sustentável, sempre trazendo crescimento para o empreendimento de cada nucleada. Este crescimento se dá com parcerias, conexões e constante aprendizado através do compartilhamento de conhecimento entre nucleadas, associados da ACPA e a comunidade.

Para o NuME, o empreendedorismo feminino é de suma importância, pois representa a força produtiva da mulher. Parabéns, àquelas que fomentam o empreendedorismo, pois oportunizam o crescimento e a certeza de uma sociedade justa, inclusiva e igualitária.

Mais matérias
desta edição