app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Opinião

EVASÃO

.

Por Editorial | Edição do dia 03/12/2021 - Matéria atualizada em 02/12/2021 às 23h04

Relatório divulgado ontem pela organização Todos pela Educação mostra que cerca de 244 mil crianças e adolescentes entre 6 e 14 anos estavam fora da escola no segundo trimestre de 2021. O número representa um aumento de 171% em comparação a 2019, quando 90 mil crianças estavam fora da escola.

O levantamento também aponta que houve queda no percentual de pessoas da mesma faixa etária que estava matriculado no ensino fundamental ou médio. Enquanto em 2019, 99,0% estavam matriculados, em 2021, esse índice caiu para 96,2%, menor valor desde 2012. Para especialistas, os dados são consequência do ensino remeto no País, que não teve respostas adequadas. Muitos estudantes tiveram pouco acesso às aulas durante o fechamento das escolas por causa da pandemia do novo coronavírus, por isso é natural o aumento da evasão. Na prática, o sistema de aulas remotas aprofundou a desigualdade da educação no Brasil. Pesquisa feita pelo Inep apontou que 9 em cada 10 escolas (90,1%) não retornaram às atividades presenciais no ano letivo de 2020. No entanto, é na comparação entre as escolas públicas e particulares que as desigualdades começam a aparecer. No ensino privado, 70,9% das escolas ficaram fechadas no ano passado. O número é consideravelmente menor que o da rede pública: 98,4% das escolas federais, 97,5% das municipais e 85,9% das estaduais. Como o perfil socioeconômico dos estudantes da rede pública normalmente aponta para uma realidade em que o acesso a equipamentos, a dados e à estrutura que permite o engajamento maior nas atividades remotas, é mais difícil, a tendência é queda ainda maior das aprendizagens na rede pública. Além disso, muitos professores também tiveram dificuldade de se adaptar às aulas online. O fato é que, nesses dois anos de pandemia, a educação sofreu prejuízos imensos no processo de aprendizagem, que vão levar algum tempo para serem superados. É preciso trazer de volta os jovens que se afastaram da escola e ajudá-los a superar os desafios de aprendizado.

Mais matérias
desta edição